Alimentos que estimulam o cérebro do bebê e aumentam a inteligência

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Veja a seguir os alimentos que estimulam o cérebro do bebê e um que prejudica

Existem alguns alimentos que são especialmente ricos em nutrientes que estimulam o cérebro do bebê e contribuem para que ele se torne um adulto ainda mais inteligente. A seguir, veja quais são esses alimentos e conheça também o alimento que prejudica o cérebro do bebê:

Ovo

Cadastre-se

Ovo pode fazer bem para o cérebro do bebê desde a gestação. Isto ocorre por uma série de motivos. Primeiro, o ovo é rico em colina, esta substância ajuda a preservar os neurônios e também melhora a capacidade de aprendizagem e concentração.

Além disso, uma pesquisa da Universidade de Montreal, no Canadá, descobriu que o ovo conta com asparagina, uma substância que é essencial para o bom desenvolvimento do cérebro do bebê. Mas saiba que o bebê não deve comer ovos crus, nem mesmo com a gema mole, para eles o orientado são ovos cozidos e, assim como todo outro alimento que não é o leite materno, só  após os seis meses de vida.

Leite materno

O leite materno é um grande aliado do cérebro do seu bebê. Para se ter uma ideia de sua importância, uma pesquisa da Universidade Federal de Pelotas e Universidade Católica de Pelotas descobriu que bebês amamentados por mais de um ano terão um QI mais alto! Os pesquisadores notaram que bebês amamentados por mais de um ano de vida quando adultos tem um QI em média 3 pontos maior do que as outras pessoas! A pesquisa contou com a participação de 3500 recém-nascidos que foram acompanhados por 30 anos.

Peixes ricos em ômega 3

Peixes ricos em ômega 3 e com baixa concentração de mercúrio, como o salmão, bacalhau e atum, são boas opções para os bebês. Isto porque o ômega 3 age no desenvolvimento do cérebro e contribui para que os pequenos tenham uma melhor capacidade de aprendizado.

Os peixes devem sempre ser oferecidos cozidos aos bebês, após os seis meses de vida e a orientação da Academia Americana de Pediatria é que o bebê ingira no máximo 340 gramas de peixe cozido por semana. Isto porque apesar de possuírem baixas concentrações de mercúrio, esses peixes ainda tem um pouco desta substância, por isso é importante não abusar.

O alimento que prejudica o cérebro: peixes ricos em mercúrio

Se por um lado existem peixes que são grandes aliados do cérebro do bebê, também há aqueles peixes que podem prejudicar o cérebro dos pequenos. São quatro tipos de peixes que são muitos ricos em mercúrio. Estes peixes são: peixe-espada, a cavala, o tubarão e o lofolátilo.

Mercúrio é uma substância que ocorre naturalmente e que também pode ser produzida pelo homem. Atualmente, existem peixes que contam com grandes quantidades de mercúrio provavelmente porque empresas despejam mercúrio em rios e no mar e então estes peixes acabaram sendo contaminados, de modo que alguns contam com o mercúrio em menores concentrações e outros em maiores.

Infelizmente, quando ingerido em grandes quantidades pelos bebês, seja quando ainda está na barriga da mãe, por meio do leite materno ou pela própria alimentação, os pequenos podem apresentar problemas no cérebro. Assim, os bebês podem desenvolver certo atraso mental e demorar mais para falar, andar, entre outros marcos do desenvolvimento. Estes bebês também podem apresentar maior dificuldade para manter a atenção e problemas na memória.

Veja outras atitudes dos pais que estimulam a inteligência do bebê aqui.

Fonte consultada:

Academia Americana de Pediatria

Universidade de Harvard nos Estados Unidos

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários