Alimentos saudáveis que o bebê não pode comer

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Morango, kiwi, laranja lima, sucos e outros alimentos só devem ser oferecidos quando o bebê estiver maiorzinho

Alguns alimentos, apesar de saudáveis, não são recomendados para os bebês. Veja quais são eles e entenda os problemas que podem causar:

Sucos

Cadastre-se

Até mesmo os sucos naturais não devem ser oferecidos aos bebês. “Sucos, são preparações onde há muitas perdas das fibras presentes nas frutas, além disso seu consumo é facilmente associado pelos pais com a falsa ideia de que se a criança ingere suco, já consumiu sua dose de fruta”, diz a nutricionista Ana Laura Rodrigues Bordinhão, mestre em oncologia pelo Hospital de Câncer de Barretos (HCB).

Saiba que o suco, mesmo o natural, perde nutrientes e oferece o açúcar de forma mais facilmente absorvida do que na fruta, pois há redução de fibras. “E isso pode predispor a futuras doenças como diabetes e obesidade.  Além disso, sucos são preparações onde as frutas perdem sua textura, e a percepção de textura é considerada um fator essencial para o desenvolvimento do paladar. Se o objetivo é hidratar, crianças devem beber água”, diz Ana Laura Bordinhão.

Assim, a melhor forma de oferecer as frutas ao bebê é natural e não em sucos. “O ideal é perpetuar esse hábito ao longo da vida, evitando sucos e consumindo frutas. Principalmente no primeiro ano de vida, não utilize o suco de frutas e incentive o consumo da fruta in natura”, destaca Ana Laura Bordinhão.

Petit suisse

É comum acreditar que o petit suisse, conhecido popularmente como “Danoninho”, é benéfico para a saúde do bebê, porém saiba que isto não é verdade. “Petit suisse é fonte de açúcar que atrapalha a formação dos bons hábitos alimentares e predispõe doenças metabólicas”, afirma Ana Laura Bordinhão.

Além disso, o petit suisse contém corantes artificiais e é fonte de proteínas do leite que no caso dos bebês tem alta capacidade de gerar alergia alimentar que poderá persistir para o resto da vida. “Crianças abaixo de 3 anos não devem consumir devido à grande chance do sistema imunológico não tolerar essa exposição a proteína de difícil digestão, açúcar e corantes e isso pode inclusive passar desapercebido aos olhos dos pais, uma vez que sintomas alérgicos podem ser tardios”, conta Ana Laura Bordinhão.

Mesmo a partir dos 3 anos, este alimento não deve fazer parte da dieta da criança, pois não traz benefícios para a saúde dela.

Leite fermentado

As formas prontas de leite fermentado são ricas em açúcar e por isso devem ser sempre evitadas em qualquer momento da vida, principalmente bebês, pelo mesmo motivo do petit suisse. “Preparações com lactobacillus feitas em casa, onde há controle dos produtos adicionados, sem corantes e sem açúcar, podem ser recomendadas aos bebês por nutricionista ou pediatra, inclusive para adequação da microbiota intestinal, regulação do funcionamento do intestino e para melhorar a eficácia do sistema imune”, observa Ana Laura Bordinhão.

Leite de vaca

A proteína do leite de vaca é de difícil digestão e tem alta capacidade de gerar alergia alimentar. “Importante: a proteína está presente no leite, independentemente de o leite conter ou não lactose. Bebês possuem um sistema imune e gastrintestinal imaturo para lidar com essas proteínas, e por isso ao sujeitá-los a essa exposição a proteína do leite podermos gerar problemas de saúde que serão carregados ao longo da vida”, conta Ana Laura Bordinhão.

Morango e kiwi

Estes alimentos são muitos saudáveis, mas só devem ser oferecidos aos bebês por volta de 8 ou 9 meses de vida. “Por serem frutas com maior potencial alergênico, é importante aguardar alguns meses para introduzi-las e observar como o bebê responde a essa introdução, evitando ofertar mais de um dia seguido”, orienta Ana Laura Bordinhão.

Frutos do mar

Os frutos do mar, camarão, lula, mariscos e outros, só devem ser oferecidos aos bebês após um ano de vida. “Devido a seu alto potencial alergênico. O bebê com menos de 1 ano tem um sistema imunológico e gastrointestinal em processo de amadurecimento, por isso, alimentos com alto potencial alergênico não devem ser ingeridos. Caso seja exposto de forma precoce a esses alimentos, o bebê poderá desenvolver uma sensibilidade ao alimento para o resto da vida”, alerta Ana Laura Bordinhão.

Oleaginosas

Amendoins, nozes e outras oleaginosas também devem ser evitadas antes do primeiro ano de vida devido ao alto potencial alergênico.

Laranja, laranja lima, limão, mexerica, tangerina e outros cítricos

O grupo dos cítricos (laranja, laranja lima, limão, mexerica e tangerina) é considerado um grupo com maior potencial alergênico, por isso, é recomendado esperar mais tempo para introduzi-lo na dieta do bebê. Aguarde até o primeiro ano de vida do bebê.

Mel

O mel só deve ser usado após o primeiro ano de vida, devido ao risco de botulismo, alergia e por mascarar o sabor natural do alimento.

Cuidados gerais ao oferecer alimentos novos ao bebê 

Até o primeiro ano de vida, o bebê não tem um completo amadurecimento do seu sistema gastrointestinal e imunológico. “Por isso, a cada novo alimento introduzido, deve-se observar se o bebê não desenvolve algum sintoma não apresentado antes. Além disso, evite oferecer o mesmo alimento mais de um dia seguido, a exposição repetida ao mesmo alimento pode tornar o bebê mais sensível ao alimento”, conta Ana Laura Bordinhão.

Veja outros alimentos que prejudicam a saúde do bebê aqui. 

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários