Amamentação diminui risco do bebê ter leucemia na infância

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Bebês que mamaram até os seis meses ou mais apresentaram 19% menos chances de desenvolver este câncer

Uma nova pesquisa publicada na revista científica da Associação Médica Americana descobriu que amamentar o bebê por seis meses ou mais diminui o risco do pequeno desenvolver leucemia na infância.

A pesquisa é um compilado de 18 estudos e teve no total a participação de 27 mil pessoas. Os pesquisadores descobriram que amamentar o bebê por seis meses ou mais diminui o risco de leucemia na infância em 19% quando comparado aos bebês que foram amamentados por menos tempo ou não foram amamentado.

Cadastre-se

Também foi observado que bebês que foram amamentados têm 11% menos chances de ter leucemia na infância do que aqueles que nunca foram amamentados.

Pesquisas apontam que o leite materno possui compostos com ações anti-inflamatórias e que promovem a imunidade. Alguns estudos também mostram que bebês amamentados com leite materno possuem mais células que tem a capacidade de destruir células cancerígenas do que aqueles bebês alimentados pela fórmula.

Estudos iniciais realizados com animais descobriram que o leite materno possui células tronco que podem ser similares às células tronco embrionárias. Isto significa que elas poderiam se modificar dentro do corpo do bebê e agir onde forem necessárias.  De acordo com o Instituto Nacional do Câncer a leucemia é um dos canceres mais comuns na infância.

Veja outros benefícios do leite materno para o bebê aqui. 

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários