Bebê morre e vacina contra meningite B teria evitado

Por: Bruna Romanini

Foto: Reprodução Kidspot

Veja a seguir o caso do pequeno Charlie e saiba tudo sobre a vacina contra a meningite B

O pequeno Charlie Joshua Manson, de 16 meses, perdeu sua vida poucos dias após contrair a meningite B.  Tudo começou quando o menino não estava se sentindo bem e então sua mãe o levou para um hospital. Chegando lá, os médicos não viram nada demais e mandaram o menino de volta para casa. Porém, ao chegar em casa sua mãe notou que Charlie estava com algumas manchas vermelhas, achando que poderia ser catapora, sua mãe retornou ao hospital.

Quando chegaram lá, os médicos deram o diagnóstico de meningite B e em menos de uma hora o menino estava internado na UTI ligado a uma série de tubos e lutando pela vida. Infelizmente, após alguns dias, o menino não resistiu e faleceu.

Cadastre-se

A vida de Charlie e de muitos outros bebês poderia ter sido poupada se ele tivesse tomado a Vacina meningocócica B, que protege contra a meningite B. Porém, Charlie vivia na Austrália, um país que enfrenta o mesmo problema que o Brasil: a vacina contra a meningite B só está disponível na rede privada. E o preço é MUITO alto, cerca de R$ 600,00 por dose!

Entenda a seguir, o que é a meningite B e saiba tudo sobre sua vacina e porque ela não está disponível na rede pública:

Entenda a meningite B

A meningite B, assim como outras meningites, causa a infecção das membranas que recobrem o cérebro. Porém, este tipo de meningite é bacteriana e é o mais letal de todos. No geral, este é o segundo tipo de meningite mais comum no Brasil, responsável por cerca de 20% dos casos. Sendo que a meningite mais frequente é a tipo C, responsável por 70% dos casos.

Contudo, como a vacina contra a meningite tipo C está disponível para os bebês tanto nas redes privada quanto pública, os casos de meningite C caíram muito entre bebês menores de dois anos. Então, atualmente, entre os bebês menores de dois anos o tipo de meningite mais comum é a meningite B.

A meningite B é tão perigosa entre os bebês que 30% dos pequenos afetados por esta doença morrem. Entre os bebês que sobrevivem, 20 a 50% apresentam sequelas graves como lesões cerebrais e nos nervos, surdez, membros amputados e atraso mental.

A meningite B é transmitida pela saliva ou cuspe, de modo que pode chegar até a pessoa por meio beijos ou tosse ou espirros. Em recém-nascidos e bebês, os sintomas clássicos da meningite são febre, dor de cabeça e no pescoço. O bebê pode parecer estar mais devagar ou menos ativo e também pode vomitar, ter dificuldades para se alimentar e ficar irritado com maior facilidade. Diante desses sintomas é essencial entrar em contato com o médico. O tratamento da meningite B é feito com antibióticos.

A vacina contra a meningite B

Desde o ano passado a vacina contra a meningite B está disponível na rede privada do Brasil. As sociedades brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) recomendam o uso rotineiro de quatro doses da vacina meningocócica B aos 3, 5 e 7 meses de vida e entre 12 e 15 meses.

Em crianças menores de 2 anos, os efeitos colaterais desta vacina podem ser: febre alta com duração de 24 a 28 horas pode ocorrer em mais de 10% dos vacinados. Quando a vacina é aplicada junto com a tríplice bacteriana acelular, pneumocócica conjugada, Haemophilus influenzae tipo b, poliomielite e hepatite B, esse percentual aumenta para 69% a 79%. Por isso é preferível não aplicá-las no mesmo dia.

É preciso ter alguns cuidados antes e após oferecer esta vacina. Em caso de febre, deve-se adiar a vacinação até que ocorra a melhora. Compressas frias aliviam a reação no local da aplicação. Qualquer sintoma grave e/ou inesperado após a vacinação deve ser notificado ao serviço que a realizou. Sintomas de eventos adversos persistentes, que se prolongam por mais de 24 a 72 horas (dependendo do sintoma), devem ser investigados para verificação de outras causas.

Esta vacina é a forma mais eficaz para se prevenir a meningite B em bebês. Mas infelizmente, ela só está disponível na rede privada e seu preço é cerca de R$ 600 POR DOSE!

Os pais que tiverem condições de investir nesta vacina, devem fazê-lo, pois apesar de não ser uma doença tão frequente, sua taxa de mortes é muito alta.

Por que a vacina contra meningite B não está no sistema público?

Atualmente no sistema público de saúde existe apenas a vacina contra a meningite C, uma vacina muito importante mas que não é suficiente para proteger o bebê contra os outros tipos de meningite, como a tipo B.

Para que uma vacina seja incluída no calendário nacional de imunizações é necessário avaliar uma série de requisitos, como efetividade, relação custo-benefício e se a rede poderia comportar financeiramente a inclusão de outra vacina.

Por isso, infelizmente, o processo para a inclusão da vacina contra a meningite tipo B na rede pública provavelmente será longo.

Veja outras vacinas da rede privada que vale a pena investir aqui.

Fontes consultadas:

Sociedade Brasileira de Imunizações

Manual MSD

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários