Coisas do dia a dia que prejudicam a inteligência do bebê

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Algumas coisas do dia a dia podem afetar e muito o cérebro e a inteligência do seu bebê, confira

Existem algumas coisas do nosso dia a dia que podem acabar prejudicando a inteligência do seu bebê. Veja quais são elas a seguir:

BPA

Cadastre-se

Diversas pesquisas têm apontado que o Bisfenol A (BPA) prejudica a saúde dos bebês.  Bisfenol A (BPA) é um composto utilizado na fabricação de policarbonato, um tipo de resina usada na produção da maioria dos plásticos. O BPA também está presente na resina epóxi, utilizada na fabricação de revestimento interno de latas que acondicionam alimentos para evitar a ferrugem e prevenir a contaminação externa.

De acordo com a Clínica Mayo já se sabe que o BPA pode prejudicar o cérebro, o comportamento e no caso dos bebês meninos até mesmo a próstata! Por isso, além de afetar o cérebro do bebê, o BPA causa uma série de outros problemas de saúde.

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia apontou algumas atitudes que ajudam a evitar que seu bebê seja exposto ao BPA, são elas:

1 – Use mamadeiras e utensílios BPA free para os bebês.

2 – Jamais esquente no microondas bebidas e alimentos acondicionados no plástico. O bisfenol A é liberado em maiores quantidades quando o plástico é aquecido.

3 – Evite levar ao freezer alimentos e bebidas acondicionadas no plástico. A liberação do composto também é mais intenso quando há um resfriamento do plástico.

4 – Evite o consumo de alimentos e bebidas enlatadas, pois o bisfenol é utilizado como resina epóxi no revestimento interno das latas.

5 – Evite pratos, copos e outros utensílios de plástico. Opte pelo vidro, porcelana e aço inoxidável na hora de armazenar bebidas e alimentos.

6 – Descarte utensílios de plástico lascados ou arranhados. Evite lavá-los com detergentes fortes ou colocá-los na máquina de lavar louças.

7 – Caso utilize embalagens plásticas para acondicionar alimentos ou bebidas, evite aquelas que tenham os símbolos de reciclagem com os números 3 e 7 no seu interior e na parte posterior da embalagem. Eles indicam que a embalagem contém ou pode conter o BPA na sua composição.”

Poluição

A exposição da mãe a poluentes como chumbo, mercúrio e pesticidas durante a gestação tem sido associada a Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade, autismo e baixo QI nos bebês. Por isso, se puder investir em alimentos orgânicos e evitar peixes ricos em mercúrio, conforme será explicado abaixo, é uma boa maneira de proteger o cérebro do seu bebê.

Peixes ricos em mercúrio:

Existem quatro tipos de peixes que devem ser evitados pelas gestantes, mães que amamentam, bebês e mulheres que estão tentando engravidar. Tratam-se dos peixes com alta concentração de mercúrio, que são principalmente o peixe-espada, a cavala, o tubarão e o lofolátilo.

Mercúrio é uma substância que ocorre naturalmente e que também pode ser produzida pelo homem. Atualmente, existem peixes que contam com grandes quantidades de mercúrio provavelmente porque empresas despejam mercúrio em rios e no mar e então estes peixes acabaram sendo contaminados, de modo que alguns contam com o mercúrio em menores concentrações e outros em maiores.

Infelizmente, quando ingerido em grandes quantidades pelos bebês, seja quando ainda está na barriga da mãe, por meio do leite materno ou pela própria alimentação, os pequenos podem apresentar problemas no cérebro. Assim, os bebês podem desenvolver certo atraso mental e demorar mais para falar, andar, entre outros marcos do desenvolvimento. Estes bebês também podem apresentar maior dificuldade para manter a atenção e problemas na memória.

Bater:

Diversas pesquisas, entre elas uma elaborada pelo Pacific Institute for Research and Evaluation, feita com mais de 1500 bebês e crianças, descobriu que quando os pais batem nos filhos, os pequenos sentem mais medo e estresse e isto pode acabar atrapalhando a capacidade de aprendizado.

Fast food e outras comidas pouco saudáveis

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Bristol, no Reino Unido, descobriu que bebês que comem grandes quantidades de comidas processadas aos três anos de idade, terão um QI menor aos 8 anos de vida. Os pesquisadores também notaram que quando o bebê comia comidas saudáveis aos três anos de vida, seu QI era maior aos 8 anos de idade.

Por isso, evite que seu pequeno ingira fast foods, bolachas, salgadinhos e outras comidas industrializadas. E invista em frutas, legumes e verduras.

Veja como estimular a inteligência do seu bebê aqui.

Fontes consultadas:

Universidade de Harvard, Estados Unidos

Clínica Mayo

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários