Mãe reduz mortes súbitas de bebês pela metade com 1 cuidado

Por: Bruna Romanini

Foto: Reprodução

Veja como a atitude da corajosa mãe Anne Diamond salvou a vida de milhares de bebês

Colocar o bebê para dormir com a barriga para cima é um dos cuidados mais divulgados para se evitar a morte súbita de bebês. Porém, há 25 anos as orientações eram bem diferentes. Nesta época, o recomendado pelos pediatras era colocar o bebê para dormir com a barriga para baixo! E foi isto que a mãe e jornalista Anne Diamond fez com seu bebê Sebastian de quatro meses. E esta atitude levou à morte do pequeno Sebastian por Síndrome da Morte Súbita.

Anne colocou seu bebê para dormir com a barriga para baixo, como sempre fazia. E então, quando foi checar como o pequeno estava no berço, o encontrou morto. “Você vai ver seu bebê esperando encontra-lo quentinho, com cheirinho de leite, mas ao invés disso eu me deparei com uma estátua fria. Me lembro de gritar com toda a minha força: ‘o bebê morreu, o bebê morreu’”, disse Anne Diamond em entrevista à BBC.

Cadastre-se

Na época, Anne era uma das jornalistas mais famosas da Inglaterra e em seu programa já havia entrevistado figuras públicas como a princesa Diana. Por isso, a morte de seu bebê causou grande comoção em todo o país.

Porém, ninguém parecia preocupado em entender o que levou à morte do pequeno e diziam que Anne deveria simplesmente aceitar que a morte súbita ocorria em alguns bebês. “Muitas pessoas chegavam até mim e falavam ‘ahn, morte súbita é uma daquelas coisas…você precisa superar. Você pode ter outro bebê!’ E isso começou a me revoltar muito! Eu odiava aquela apatia, odiava o fato de aceitarem que alguns bebês simplesmente morrem sem motivo”, contou Anne em entrevista à BBC.

Então, Anne começou a pesquisar mais sobre morte súbita infantil. E descobriu que havia acabado de ser lançado um estudo com 2 mil bebês na Nova Zelândia que relacionava a morte súbita infantil com o fato do bebê dormir com a barriga para baixo.

Diante desta descoberta, Anne não teve dúvidas: viajou até a Nova Zelândia. “Quando cheguei lá os pesquisadores me explicaram que colocar o bebê para dormir com a barriga para cima diminuiu muito o risco de morte súbita e estava salvando vidas de bebês lá. O governo da Nova Zelândia já havia começado a orientar as mães a colocarem seus bebês para dormir com a barriga para cima”, disse Anne.

Quando descobriu disso, Anne sabia que tinha que voltar para a Inglaterra e espalhar essa mensagem para todo o mundo. “Apesar de ser uma pessoa famosa, eu sabia que apenas minha orientação não seria suficiente. Eu tinha que mudar a opinião dos médicos também”, contou Anne em entrevista à BBC.

Anne conseguiu marcar reuniões com os principais médicos da Inglaterra e com a secretária da saúde da época, Virginia Bottomley. Porém, ela recebeu pouquíssima atenção e os médicos só disseram que dariam uma olhada no estudo. “Eu sabia que naquela noite mais cinco bebês iriam morrer de morte súbita por um erro ao coloca-los para dormir e noite seguinte aconteceria a mesma coisa de novo. Como os médicos poderiam deixar aqueles bebês morrerem enquanto demoravam para ver um estudo?! Eu precisava fazer algo para eles agirem mais rápido”, recorda-se Anne em entrevista à BBC.

E foi o que ela fez! Anne comprou uma passagem e trouxe o autor do estudo da Nova Zelândia para a Inglaterra e marcou um encontro dele com a secretária de saúde da Inglaterra. Assim, ela conseguiu o apoio do governo da Inglaterra e começou em 1992 uma campanha para alertar os pais a colocarem seus bebês para dormirem com a barriga para cima.

A atitude de Anne fez com que a morte súbita de bebês no Reino Unido caísse mais da metade. Para se ter uma ideia, em 1989, 1545 bebês morreram de morte súbita no Reino Unido. Já em 1992, após a campanha de Anne, apenas 647 bebês morreram devido à morte súbita.

A mensagem de Anne se espalhou por todo o mundo e fez com que surgissem campanhas similares a dela em vários países. Anne certamente impediu a morte de milhares de bebês desde então.

Saiba mais sobre como evitar a morte súbita aqui.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários