Brincadeiras para bebês até um ano

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Confira quais as melhores brincadeiras para o bebê de um mês a um ano de vida

As brincadeiras para bebê são essenciais desde o primeiro mês de vida. “Por meio das brincadeiras, o pequeno descobre o seu corpo, experimenta sensações e começa a entender o mundo a sua volta”, conta Luciane Motta, diretora da Casa do Brincar.

As brincadeiras com os bebês variam de acordo com a idade do pequeno. Confira quais as melhores brincadeiras ao longo do primeiro ano de vida.

Cadastre-se

Dois primeiros meses

Nos primeiros meses de vida, brincadeiras de sons com a boca e chocalhos são muito interessantes. “As primeiras brincadeiras estão muito relacionadas ao toque. Toque com peninha, pincel, tecidos de diferentes texturas. Tudo vale para relaxar o bebê e proporcionar uma experiência sensorial nova”, observa Luciane Motta.

Três a cinco meses

Por volta dos três meses, os bebês já adoram brincar de esconde-esconde, aquele clássico “cadê a mamãe? Achou! ”. Essa brincadeira é um sucesso até por volta dos dois anos de vida!  A partir dos três ou quatro meses, o bebê começa a controlar melhor o pescoço, os braços e as mãos e já pode começar a explorar objetos que podem ser levados à boca, apertados e cheirados.

Seis meses

Por volta dos seis meses, a criança já estará sentada e tem uma outra visão do mundo, com uma nova perspectiva. “Isso abre muitas possibilidades com bonecas e bichinhos que possam ser apertados, mordedores e objetos que façam barulhos”, diz Luciane Motta.

Sete meses a um ano

Aos sete meses, o bebê aprende a rolar e já pode se arrastar, treinando o engatinhar. “Nesta fase, objetos com texturas, jogos de encaixe, livros de tecido, brinquedos simples de madeira exercem fascínio”, observa Luciane Motta.

Ao longo do primeiro ano de vida, as crianças são muito sensoriais. Elas brincam e aprendem pelo seu próprio corpo. “O toque é fator importante de desenvolvimento e brincadeira. Por exemplo, brincar na areia, sempre supervisionando para não leva-la à boca, é divertidíssimo”, afirma Luciane Motta.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários