Dor do crescimento: tire suas dúvidas

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Saiba como reconhecer, aliviar e se é possível prevenir a dor do crescimento

A dor do crescimento é um incomodo real que afeta algumas crianças. De acordo com a Sociedade Brasileira de Ortopedia Pediátrica a dor do crescimento ocorre entre 3 e 10 anos de idade. A seguir, saiba tudo sobre essa dor:

Como reconhecer a dor de crescimento

Cadastre-se

A dor do crescimento é muscular. “Localiza-se nas coxas, pernas e pés, pode ser fraca ou muito forte, mas não impede que a criança ande ou corra assim que a dor passe. Também costuma ter o caráter itinerante, isto é, cada dia em um lugar diferente”, explica a pediatra Tatiana Miranda, coordenadora do Pronto-Socorro Infantil do Hospital Leforte.

Esta dor costuma ocorrer durante a noite. “Isto porque ela geralmente acontece depois das atividades físicas. A dor pela manhã é muito rara”, observa Tatiana Miranda.

Algumas doenças se manifestam com dores musculares e podem ser confundidas com as dores de crescimento. Por isso, confira as principais características da dor de crescimento:

  • Ela não interfere nas atividades diárias, assim que passa a criança volta a andar e brincar.
  • Duração variável de poucos minutos a algumas horas.
  • Melhora espontaneamente, sem medicação, ou com massagem local.
  • Não é acompanhada de inchaço articular ou febre
  • Geralmente ocorre no fim da tarde ou a noite, após as atividades físicas da criança.

As causas da dor de crescimento

A dor do crescimento ainda não tem uma causa conhecida. Inclusive, ela pode nem mesmo estar ligada ao crescimento. “Afinal o ganho de estatura ocorre de maneira muito lenta para provocar a dor. É muito comum encontrarmos distúrbios emocionais, ou simplesmente uma situação de crise da própria idade. Também se observa que, em geral, essas crianças são filhas de pais que tiveram quadros semelhantes na infância, ou seja parece haver uma combinação de fatores emocionais associados a uma tendência a dor crônica”, explica Tatiana Miranda.

A Sociedade Brasileira de Ortopedia Pediátrica também levanta a hipótese de que a dor de crescimento seja causada pela fadiga muscular ou a grande atividade de impacto causa dor próximas às áreas de crescimento.

O diagnóstico da dor do crescimento só pode ser feito após o médico descartar outras hipóteses de problemas musculares. “Só após se verificar que não foi encontrado mais nada, então pode-se pensar nesse diagnóstico”, diz Tatiana Miranda.

Como aliviar a dor de crescimento

Não há como prevenir a dor do crescimento, contudo algumas atitudes ajudam a aliviá-la. “Massagens simples, compressa no local da dor e alongamentos podem ajudar. No caso de dores muito fortes podem ser necessário o uso de analgésicos, mas sempre sob supervisão médica. Na hora da crise o carinho dos pais acalma e pode ser um remédio muito eficaz”, constata Tatiana Miranda.

Os esportes de baixo impacto, como natação, também ajudam no tratamento das dores do crescimento. “O fortalecimento muscular e alongamento parecem ter um efeito benéfico”, afirma Tatiana Miranda.

Quando a dor de crescimento é preocupante

Com o tempo a dor de crescimento deixa de ocorrer. Caso essa dor venha acompanhada de inchaços, manchas, limitação da atividade ou faça com que a criança manque, o médico deve ser consultado.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários