Quando o comportamento do bebê indica problemas emocionais

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Saiba quais comportamentos do bebê podem ser um sinal de que existe um problema emocional

Assim como os adultos, os bebês também podem passar por alguns problemas emocionais.Eu que sou adulta muitas vezes tenho dificuldade de identificar meus sentimentos e preciso de apoio, imagina um bebê que acabou de chegar neste mundo e está vivenciando esses sentimentos de maneira tão inovadora”, explica a psicóloga e doula Patrícia Lomonaco, fundadora do Shantala Neles. A seguir, veja alguns comportamentos que podem ser sinal de problemas emocionais:

Choro

Cadastre-se

O choro pode ser sinal de algum problema emocional. Quando um bebê chora, a tendência é logo verificamos se ele está fisicamente bem, amamentado, limpo e confortável. “Depois disso verificado, temos que pensar que pode ser também algum sinal emocional, como por exemplo, medo ou insegurança. Esses sinais são abstratos e, portanto, mais difíceis de serem identificados e diagnosticados. Nossas antenas devem estar ligadas sempre, pois não são menos importantes”, diz Patrícia Lomonaco.

Diante deste choro que pode estar ligado à problemas emocionais não há uma fórmula única para solucioná-lo. “Cada bebê é um bebê e o mais importante é olhar para o bebê em questão, e para a família, e analisar o que pode estar se passando. Daí sim tomar alguma providência”, conta Patrícia Lomonaco.

Ansiedade

A ansiedade não necessariamente significa um problema emocional. O bebê pode estar ansioso porque tem um arrotinho que não quer sair ou algo do gênero. “Mais uma vez bato na tecla de que é importante olhar para cada bebê e analisar o que está se passando naquela família e com aquele bebê. E talvez a ansiedade seja sim reflexo de alguma questão emocional, neste caso precisa ser cuidado”, afirma Patrícia Lomonaco.

Caso seja verificado que a ansiedade é reflexo de um problema emocional é importante tentar ajudar e apoiar o bebê. “Se nós ajudamos os bebês a resolver suas questões físicas, porque não vamos ajudá-los a entender/compreender/superar suas questões emocionais? Diante de inseguranças, medos, carências, eu sou a favor de dar colo e contenção sim”, conta Patrícia Lomonaco.

Carência

A carência do bebê pode ocorrer por uma série de motivos, físicos ou emocionais. “É necessário verificar qual é a carência do pequeno e ajuda-lo a suprir”, destaca Patrícia Lomonaco. Muitas vezes a carência emocional pode ser solucionada com bons colos da mamãe 🙂

O corpo do bebê dá sinais

Nos primeiros meses de vida, o bebê se comunica por meio do corpo, por isso, é essencial ficar atenta aos sinais que ele dá. “Ele chora, faz caretas, mexe as perninhas e bracinhos, e tudo isso vai dando pistas do que está acontecendo quando há algo de errado. Por isso é muito importante observar sempre os sinais que eles dão, para conseguir fazer essa leitura ‘em códigos’ de maneira cada vez mais eficaz”, conta Patrícia Lomonaco.

Saiba mais sobre as emoções do bebê aqui.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários