11 mudanças inesperadas que ocorrem na gravidez

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

A memória falha, o cabelo fica mais cheio, o paladar muda e até mesmo a produção de salivas pode aumentar

A barriga cresce, algumas estrias podem surgir, o inchaço aparece, tudo isso você já imagina que pode ocorrer na gravidez. Porém, existem outras alterações, muito mais incomuns, que podem acontecer no corpo e na mente da gestante. A seguir confira onze mudanças inesperadas pelas quais as gestantes podem passar:

Lapsos de memória e falta de atenção

Cadastre-se

Você anda esquecida? Não está conseguindo manter o foco? A culpa provavelmente é da gestação!“Existem ainda muitas controvérsias em relação ao efeito da gestação na memória da mulher. Alguns trabalhos colocam os efeitos dos hormônios como causa principal desses lapsos de memória, porém um trabalho realizado na Austrália e publicado em uma importante revista de psiquiatria mostrou que a memória da mulher não é afetada pela gestação e coloca que os trabalhos anteriores não faziam a correlação entre o período antes da mulher engravidar e durante o período gestacional para realmente ver se havia alguma diferença. O que foi comprovado nesse trabalho é a maior lentidão da resolução de problemas, como se o cérebro trabalhasse com menor velocidade”, explica o ginecologista e obstetra Jurandir Passos do Lavoisier Medicina Diagnóstica.

Os lapsos de memória também podem ocorrem devido às distrações e preocupações comuns ao período gestacional. “Isto é, a mulher está com preocupações e ansiedade em relação à evolução da gestação e essa preocupação tiraria o foco do que está realizando e com isso acaba tendo lapsos de memória”, diz Jurandir Passos.

Manchas na pele

Tomar sol sem protetor é especialmente grave na gestação, pois pode fazer com que a mulher fique com manchas. “Em decorrência das influências hormonais da gestação, a pele da mulher fica mais sensível à exposição solar, principalmente aquelas de pele mais escura. Como o rosto é uma região que fica normalmente exposta ao sol, é nele que se concentram com mais frequência as manchas durante o período gestacional”, conta Jurandir Passos.

Essas manchas são chamadas de cloasmas e podem ou não desaparecer após o parto. “Muitas vezes são necessários tratamentos dermatológicos para o seu desaparecimento ou, pelo menos, sua atenuação”, alerta Jurandir Passos. Saiba mais sobre manchas na gestação aqui.

 Escurecimento de aréolas, linha do centro da barriga e outras áreas do corpo

Durante a gestação, as mulheres podem desenvolver a hiperpigmentação, que é o escurecimento de algumas regiões do corpo que costumam ser: aréolas, vulva, face interna das coxas, axilas, região perineal (entre a vagina e o ânus) e linha no centro do abdômen, a linha alba que na gestação se torna linha nigrans. “Essas são as partes do corpo da mulher que naturalmente escurecem por resposta hormonal, sem necessidade de exposição solar. A hiperpigmentação de algumas regiões do corpo da gestante está relacionada ao estímulo nas células produtoras de melanina (melanócitos) pelos hormônios da gravidez”, explica Jurandir Passos.

Cabelos mais cheios

O cabelo apresenta um ciclo de crescimento e queda natural que se modifica na gestação. “Os hormônios da gestação levam a uma diminuição na taxa de queda dos cabelos que faz com que a mulher perceba esse aumento de volume capilar”, afirma Jurandir Passos.

Porém, após o parto o efeito destes hormônios cessa e a mulher tem uma queda mais acentuada de cabelos. “Como no período gestacional, essa queda no pós-parto também é temporária, não devendo a mulher se preocupar com essa queda mais acentuada. O cabelo retomará seu ciclo naturalmente e a velocidade de queda voltará ao seu normal”, conta Jurandir Passos.

Mudanças nas unhas

Durante a gestação, a mulher pode ter o enfraquecimento das unhas ou sentir que elas estão mais fortes. “Como no cabelo, os hormônios da gestação atuam nas unhas e promovem uma aceleração na velocidade de seu crescimento e a sensação de unhas mais fortes pode estar relacionada ao seu espessamento devido a essa aceleração de crescimento. Após o parto, as unhas, como os cabelos retomam seu ciclo natural”, diz Jurandir Passos.

Olfato e paladar aguçados

Durante a gestação é comum a mulher ter o paladar e o olfato aguçados. “Isto leva a mulher a evitar alguns alimentos e cheiros e, segundo alguns autores, estariam relacionados à questão hormonal, porém, fatores emocionais podem estar envolvidos e elevarem o grau de sensibilidade e rejeição a alimentos e cheiros por parte das gestantes”, observa Jurandir Passos.

Desejos!  

Sentir desejos na gestação já é algo muito conhecido. É comum a mulher, durante o período gestacional, ter desejo por alimentos que antes não gostava ou ter a necessidade de comer algo de forma incontrolável. Mas, você sabe por que sente esses desejos? “Aqui estão relacionados vários fatores, desde emocionais a culturais. Alguns autores colocam essas vontades associadas a quadros de necessidade de reposição de nutrientes que estão em falta no organismo materno e esses desejos seriam formas de obter fontes desses nutrientes”, explica Jurandir Passos.

Outros pesquisadores colocam a questão da necessidade de atenção das mulheres durante o período gestacional e essa expressão de vontade por um alimento exótico pode significar, consciente ou inconscientemente, a necessidade de atenção. “O grande problema dessas vontades é quando o objeto de desejo não é um alimento, mas substâncias que não vão trazer nenhum ganho nutritivo para a gestante, como comer terra ou tijolo, por exemplo. Esse desvio do hábito alimentar recebe o nome de ‘pica’ ou ‘picamalácia’ e deve ser acompanhado de perto por um profissional médico”, afirma Jurandir Passo.

Emoções à flor da pele

Você está chorando com mais facilidade? Sente que suas emoções estão à flor da pele? Isto é normal na gravidez. Afinal, além das mudanças hormonais, a mulher pode ter uma forte sensação de impotência. “Costumo dizer que a gestação para a mulher é como se ela entrasse em um barco sem o leme, seguisse a correnteza e, ao final da jornada, sem qualquer possibilidade de intervir no rumo, chegaria a um porto seguro. A gestação, para muitas mulheres é representada por essa sensação de impotência”, constata Jurandir Passos.

Afinal, as gestantes não sabem com 100% de certeza se o pequeno está se desenvolvendo bem, se há algum tipo de malformação, se pode ocorrer complicações ao longa da gravidez, se vai correr tudo bem no parto, entre outras dúvidas. “O importante é saber se essa ansiedade, comum a todas as gestantes, está interferindo no dia a dia da mulher, pois pode evoluir para o chamado ‘blue’ gestacional e até mesmo para um quadro de depressão. O acompanhamento psicológico pode ser necessário a algumas gestantes quando essa sensação de insegurança e depressão estão interferindo em seu bem-estar”, alerta Jurandir Passos.

Produção em excesso de saliva!

É isso mesmo que você leu! Algumas gestantes podem ter a sialorréia, ou o aumento da produção de saliva e a dificuldade em degluti-la, que acaba fazendo com que a mulher tenha que cuspir constantemente. “A sialorréia normalmente está relacionada ao quadro de hiperêmese gravídica que ocorre nos primeiros três meses, mas, em alguns casos pode se estender a todo o período gestacional”, conta Jurandir Passos.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários