Alimentos que as gestantes não podem comer

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Veja quais alimentos as gestantes não podem comer e quais devem consumir em menores quantidades, alguns podem até aumentar o risco de aborto

Alguns alimentos a gestante não pode comer porque há o risco de complicações para a saúde da dela e do bebê e por isso devem ser evitados ou consumidos em pequenas quantidades.  Saiba quais são eles e entenda o problema de ingeri-los.

Alimentos crus 

Cadastre-se

Esses alimentos são arriscados principalmente devido ao risco de contaminação por microrganismo que podem ser prejudiciais para a saúde da mãe e do bebê.  “Um dos maiores perigos, se a gestante nunca teve contato com o agente chamado toxoplasma (protozoário encontrado em alimentos crus e mal lavado), é a toxoplasmose, e suas consequências variam, dependendo do momento da gestação, em malformações como catarata congênita, surdez, retardo de crescimento ou mental e até morte intrauterina e para a gestante o risco é de aborto ou parto prematuro”, explica a nutricionista Regina Esteves Jordão, professora da Faculdade de Nutrição da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCC). No caso dos peixes crus ainda há a possibilidade de contaminação por mercúrio.

Outro problema dos alimentos crus é a questão da digestão. “No período gestacional existe uma diminuição dos movimentos peristálticos e das secreções gástricas e essa diminuição favorece para que a grávida tenha uma sensibilidade maior a determinados alimentos no aspecto da digestão. Esses alimentos crus são mais difíceis de digerir. Também há a maior possibilidade de refluxo ao comer alimentos crus”, explica o nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Além do peixe, carnes mal passadas, quibe cru, ovos crus ou fritos e com as gemas mole, devem ser evitados.

Café

É interessante que a grávida restrinja o consumo de café a no máximo quatro xícaras por dia. “Esta bebida aumenta as secreções gástricas e também faz com que o risco de refluxo seja maior”, conta Ribas Filho.

Chás

Alguns chás, como o chá verde, branco, preto e mate, são ricos em cafeína e assim como o café aumentam as secreções gástricas. “Outro problema é que existem tipos de chás que podem induzir contrações uterinas, o que não é interessante”, diz a nutricionista Elaine Vital da Clínica Bersou.

Refrigerantes

Os refrigerantes não são recomendados para as gestantes por serem alimentos pobres em nutrientes. “São fontes de calorias vazias, além disso, possuem muitos conservantes, corantes, estão relacionados ao processo de ganho de peso e interferem na nutrição fetal”, explica Vital.

Alimentos ricos em açúcar

Alimentos ricos em açúcar refinado, o que inclui o refrigerante, também são fontes de calorias vazias.  Além disso, o consumo em excesso destas comidas e bebidas açucaradas aumentam o risco da diabetes gestacional.  Então, vá devagar nos bolos, tortas, brigadeiro e outros doces.

Alimentos conservados no sal

O problema de alimentos conservados no sal é que possuem um excesso de sódio. “Isto é prejudicial para a gestante porque aumenta o risco da chamada pré-eclâmpsia ou elevação da pressão arterial na gestação que pode evoluir para a eclampsia, um quadro de convulsões da gestante”, explica a nutricionista Regina Esteves Jordão, professora da Faculdade de Nutrição da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCC). Os exemplos mais conhecidos deste tipo de comida são o bacalhau e a carne seca.

Embutidos

Presunto, salame, mortadela, presunto de Parma, peito de peru entre outros embutidos devem ser evitados ou consumidos em menores quantidades pelas gestantes. “Isto porque são alimentos processados que possuem na maioria das vezes muita gordura saturada, colesterol, sódio, além de muitos conservantes e com alto risco de contaminação por microrganismos, podendo afetar a saúde do bebê”, conta Jordão.

Leites e queijos

Evite leites e queijos não pasteurizados devido ao maior risco de contaminação destes alimentos por microrganismos que podem ser prejudiciais à saúde da mãe e do bebê. De qualquer forma, é interessante não abusar da quantidade de laticínios, mesmo os pasteurizados. “Algumas proteínas do leite e derivados não são digeridas então se a grávida consumir muito podem ocorrer problemas na digestão”, observa Vital. Os queijos amarelos precisam de ainda mais parcimônia. “Eles possuem alta quantidade de sal e gordura”, justifica Vital.

Adoçantes

Os adoçantes devem ser utilizados durante a gestação por pacientes que precisam controlar o ganho de peso e diabéticas. Mesmo assim, há apenas alguns tipos que são recomendados para as grávidas desde que em quantidade adequadas. São eles: acesulfame-K, sucralose e estévia.

Sacarina e ciclamato devem ser evitados já que alguns estudos apontam que eles têm efeito cancerígeno em animais.  O aspartame também não é interessante devido ao fato de expor o feto ao ácido aspártico, fenilalanina e metanol, podendo prejudicar o crescimento, peso e causar distúrbios neurológicos no bebê.

Frutos do mar

A questão dos frutos do mar é o alto risco de alergias, mas caso você não tenha esse problema, pode consumi-los.

Canela

Esta especiaria estimula as contrações uterinas e por isso o consumo em excesso pode até levar ao aborto. Evite este alimento em qualquer versão, como polvilhado em doces, nos chás e nas frutas.

Saiba quais alimentos são recomendados para as gestantes nesta outra reportagem do portal BebêMamãe.com. 

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários