As 4 sensações que o bebê tem dentro do útero

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Descubra tudo que seu bebê é capaz de sentir quando está dentro do útero

Apesar de ainda estar se formando, o feto é capaz de sentir uma série de coisas dentro do útero. Algumas delas, inclusive, podem influenciar o seu comportamento após o nascimento! Veja quais são essas sensações:

Sente o toque dos pais

Cadastre-se

Conforme o feto se desenvolve, ele começa a ficar mais próximo da superfície abdominal materno e pode sentir os toques maternos e paternos. “O toque leva à estimulação fetal e, consequentemente, a uma reação, que pode ser desde uma pequena aceleração da frequência cardíaca até a resposta com movimentos corpóreos”, explica o ginecologista obstetra Jurandir Passos, especialista em Medicina Fetal do Lavoisier Medicina Diagnóstica.

A intensidade e a forma de realizar esses toques é que vão levar a respostas diferentes e dependendo de como forem realizados esses toques podem ser espécies de massagens. “O ideal é que a gestante esteja em um lugar tranquilo e relaxada, e que o feto seja tocado de forma leve e constante, como se fosse feito uma pequena massagem ou carícia, com movimentos de vai-e-vem ou circulares”, diz Jurandir Passos. Esses estímulos acabam ficando no subconsciente do feto e, após o nascimento, esses mesmos movimentos acabam levando o recém-nascido a se acalmar e relaxar se estiver sob algum tipo de desconforto ou manha devido a sono.

Reconhece a voz dos pais

O feto não consegue saber o que está sendo falado ou cantado para ele, mas consegue distinguir as vibrações e timbres do som. “À medida que a gestante conversa com o feto, o timbre de sua voz começa a ser guardado pela memória fetal e, ao nascer, ao reconhecer a voz materna pelo seu timbre, acaba acalmando e passando segurança para o pequeno”, conta Jurandir Passos. Isso acontece também com a voz do pai e mesmo com músicas. “Se o feto é colocado para ouvir músicas, após o nascimento, espera-se que essas mesmas músicas acabem tendo efeito tranquilizador e relaxante para o recém-nascido”, conta Jurandir Passos.

Percebe a felicidade da mãe

Alguns trabalhos de psicologia fetal colocam relações entre o estado emocional da mãe e a atividade e crescimento fetal intrauterino. “Aparentemente, os fetos de mães com baixo estresse e que tenham momentos de relaxamento, apresentariam melhor desenvolvimento intrauterino, movimentos mais calmos e harmoniosos além de serem crianças mais calmas também após o nascimento”, explica Jurandir Passos.

Percebe o estresse da mãe

O estresse normalmente pode estar acompanhado de movimentos bruscos, falar de forma alta, tencionar os músculos, inclusive os abdominais, além de liberar substâncias na corrente sanguínea que vão acabar atuando também no feto. “Com certeza, essa modificação do meio calmo e tranquilo em que se encontra e ser exposto a uma situação de estresse, o feto pode responder com aceleração da frequência cardíaca e mesmo movimentos mais intensos do que a gestante percebe nesse horário. Alguns trabalhos colocam que estresse ocasional é até importante ao desenvolvimento fetal, pois transmite a ele a informação de que não estará sempre em um ambiente agradável e calmo como o útero materno e, isso, já iniciaria o preparo para seus relacionamentos pós-nascimento”, afirma Jurandir Passos.

Porém, saiba que não há concordância dos trabalhos se o estresse constante, como de atividades profissionais ou de relacionamento acaba interferindo posteriormente na personalidade da criança. “Mas, com certeza, evitar o estresse durante o período gestacional é o mais adequado”, diz Jurandir Passos.

Veja quais as estripulias que o bebê apronta dentro do útero aqui. 

Veja mais

maria-cecilia-rodolfo-coracao
animais-semanas-bebe

Deixe uma resposta

Comentários