Barriga no pós-parto: saiba tudo sobre

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Entenda como fica a barriga após o parto e confira estratégias que ajudam ela a voltar ao que era antes

A barriga no pós-parto fica diferente do que era antes da gravidez e isto faz parte! Por isso, entenda como fica a aparência da barriga no pós-parto, quanto tempo demora e estratégias para ela voltar ao que era antes.

Como fica a barriga após o parto

Cadastre-se

O bebê já nasceu, mas a barriguinha ainda continua? Calma, isso é normal. Afinal, o útero aumentou muito durante a gestação e este crescimento ocorreu aos poucos ao longo de nove meses. Portanto, assim como ele demorou para aumentar de tamanho, o útero também vai levar um tempo para voltar ao normal. “Duas semanas após o parto o útero deixa de ser palpável no abdome. De 4 a 6 semanas o útero regride ao tamanho normal”, explica o ginecologista e obstetra Ricardo Andrade Freire, do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco.

Um pouco de flacidez na barriga também é normal. “Isso ocorre porque a barriga se distende demais na gestação e a pele não volta. Funciona como um elástico que perdeu a resistência”, explica a dermatologista Christiana Blatter, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia. É preciso esperar um tempo maior para que a pele retorne ao que era antes . “A pele volta ao normal entre 4 e 6 meses dependendo das características individuais de cada pessoa”, explica Ricardo Andrade Freire.

Quanto aos quilos extras, a expectativa para as mulheres que ganharam entre 9 e 12 quilos na gestação é que leve cerca de seis meses para voltar ao peso de antes. Já quem engordou mais, pode demorar até nove meses para retornar aos quilos de antes da gestação.

Estratégias que ajudam a barriga a voltar ao que era antes

Amamente: Amamentar é a primeira atitude que acelera a volta da barriga no pós-parto. “A amamentação é de fundamental importância para a regressão do útero porque estimula a liberação do hormônio chamado ocitocina e este tem a função de contração e regressão do útero”, observa Ricardo Andrade Freire.

Além disso, amamentar queima muitas calorias. Por dia, a mulher que amamenta exclusivamente gasta cerca de 640 calorias só para produzir o leite!

Fuja de dietas restritivas: “Normalmente não há recomendação de dieta restritiva nos primeiros 45 dias. Este período chama-se puerpério e é o tempo estimado para o retorno fisiológico das modificações gravídicas. Após isso, não há regras estabelecidas, mas recomenda-se a orientação de um profissional”, conta Ricardo Andrade Freire. Veja dicas de como fazer uma dieta saudável no pós-parto nesta outra reportagem.

Pratique exercícios: A atividade física é uma grande aliada para que a barriga volte ao que era antes. Os exercícios podem ser iniciados após os 45 dias do puerpério e sempre com a autorização do seu médico. “Como orientação geral, deve-se iniciar de maneira paulatina, com intensidade gradativa e com alongamento prévio. No pós-parto de cesariana as mulheres devem evitar exercícios que solicitem a musculatura abdominal, como as abdominais. No pós-parto normal é liberado qualquer tipo de exercício físico, respeitando o limite físico de cada paciente e o término da loquiação, sangramento pós-parto”, afirma Ricardo Andrade Freire.

Boas opções de exercícios no pós-parto são:

  • Caminhadas:O bebê ainda pode participar desta atividade, sendo levado no carrinho ou no canguru.
  • Yoga:Esta atividade é muito benéfica na gestação e continua sendo orientada no pós-parto. O yoga ajuda no fortalecimento da musculatura abdominal e ainda pode ser feito com o seu bebê!
  • Hidroginástica: Esta atividade queima muitas calorias e ainda é de baixo impacto. O único problema é que o pequeno não participa dela, portanto, pode ser um pouco difícil adicioná-la na rotina.

Barriga flácida no pós-parto: Alguns tratamentos podem ajudar a combater a barriga flácida no pós-parto. Saiba quais são aqui.

Drenagem linfática: Realizar sessões de drenagem linfática pode ajudar o corpo a voltar às medidas de antes da gestação. Isto porque a drenagem ajuda a reduzir o excesso de líquidos no corpo. É importante conversar com seu médico antes de realizar a drenagem linfática.

Beba água: Consumir de 2 a 3 litros de água, além de contribuir para a produção do leite materno, ainda ajuda a reduzir o inchaço!

Estrias: Algumas mulheres podem desenvolver estrias durante a gestação. Caso você tenha estrias, alguns tratamentos podem ser realizados após o parto para minimizar as marcas. Converse com seu dermatologista sobre qual é a melhor opção. Atualmente, uma alternativa tópica são os remédios à base de ácido retinoico, contudo esta substância não pode ser utilizada na fase de amamentação e muito menos gestação. Os tratamentos a laser também são uma alternativa, pois além de melhorar a elasticidade da pele, reduzindo a flacidez, eles também podem alterar a pigmentação das estrias, fazendo com que elas fiquem mais parecidas com a coloração ao redor.
 

Veja mais

tremores-parto
cesarea-medieval
sophie-charlotte

Deixe uma resposta

Comentários