Catapora na gravidez: riscos e como evitar

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Entenda os problemas da catapora na gravidez e saiba como prevenir o problema

A catapora na gravidez pode não afeta apenas a saúde da mãe, mas a do bebê também. “Qualquer virose na gravidez, principalmente nos primeiros meses, aumenta o risco de aborto e má formação do embrião. Por isso, é importante que a gestante que não teve catapora evite o contato com pessoas com a doença”, alerta o ginecologista obstetra Paulo Gallo, diretor médico do Vida – Centro de Fertilidade da Rede D’Or do Rio de Janeiro e professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Contrair a catapora mais para o final da gravidez pode levar a outros problemas. Entre a 20ª e a 36ª semanas de gestação há a possibilidade do bebê desenvolver herpes zóster nos primeiros anos de vida. Se a grávida tiver catapora um pouco antes ou um pouco depois do parto os riscos para o bebê são muito altos.

Cadastre-se

O ultrassom morfológico pode ser feito entre a 18ª e 20ª semana de gestação a fim de saber se a catapora afetou o feto, caso a mulher tenha contraído a catapora antes da 20ª semana de gravidez. Contudo, este exame não é garantia de que o bebê nascerá sem nenhuma sequela.

Caso a mulher não tenha tido catapora é interessante que ela tome a vacina varicela ao menos três meses antes de engravidar. Durante a gravidez a vacina contra catapora não é orientada. Isto porque ela é feita com compostos enfraquecidos, ou seja, que ainda estão vivos e por isso há o risco teórico do feto contrair a catapora. Confira as vacinas que precisam ser tomadas na gravidez e outras que devem ser evitadas nesta outra matéria do portal BebêMamãe.com. 

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários