Citomegalovírus na gravidez: causas, sintomas e tratamento

Por: Bruna Romanini

Foto: Reprodução

Saiba tudo sobre o citomegalovírus na gravidez, suas causas, sintomas e tratamento

No último ano, houve uma grande preocupação na área médica e entre as gestantes e mães a respeito do Zika vírus. Foram divulgadas diversas maneiras de prevenção e inúmeras pesquisas sobre vacinas não param de surgir. Claro que toda essa preocupação é importante. Porém, existe uma doença até mais fácil de transmitir do que o Zika Vírus e que afeta MUITO mais recém-nascidos que NINGUÉM está falando a respeito. Trata-se do citomegalovírus (CMV).

Enquanto o Zika vírus afetou até o momento aproximadamente 1500 recém-nascidos no Brasil, estima-se que o citomegalovírus tenha causado problemas de saúde sérios em cerca de 6.000 mil recém-nascidos em nosso país. Isto porque de acordo com pesquisa publicada na revista científica Clinical Microbiology Review cerca de 1 a 5% dos recém-nascidos que vivem em países em desenvolvimento (caso do Brasil) nascem infectados com o CMV. Entre esses bebês, um em cada cinco, segundo o Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos, desenvolve problemas de saúde sérios, como surdez e microcefalia, em decorrência do CMV.

Cadastre-se

O CMV é transmitido para o bebê pela mãe durante a gestação.  Mesmo assim, apenas metade das gestantes em todo o mundo são orientadas sobre como prevenir a doença.  Ele também pode ser transmitido por meio do leite materno, mas nestes casos as complicações não costumam ocorrer. “CMV é tão urgente quanto o Zika! Há décadas fala-se sobre criar uma vacina para prevenir o CMV e até agora nada foi feito! E certamente um dos motivos pelos quais a vacina não foi criada foi porque não houve pressão da população, que por sua vez, pouco sabe sobre a doença”, observa o pediatra Mark R. Schleiss, diretor da área de doenças pediátricas infecciosas da Universidade de Minnnesota, Estados Unidos, em entrevista ao jornal The New York Times.

E a informação sobre CMV não é importante apenas para a criação da vacina, saber mais sobre a doença ajuda a evita-la. Uma pesquisa realizada na França descobriu que quando um profissional da saúde informa uma gestante sobre como prevenir o CMV, em uma simples conversa de alguns minutos, as chances dela contrair a doença diminuem MUITO.

Por isso, a seguir, te contamos tudo sobre o CMV:

O que é o citomegalovírus

O citomegalovírus é um vírus da família da Herpes que pode afetar qualquer pessoa. A maioria das pessoas não sabe que contraiu o CMV porque ele raramente apresenta sintomas. O CMV é especialmente preocupante para gestantes porque pode passar para o bebê e causar problemas graves de saúde.

Transmissão do citomegalovírus

O CMV pode ser transmitido de pessoa por pessoa por meio de fluídos corporais, como sangue, saliva, urina, sêmen e leite materno. O CMV que passa por meio do leite materno geralmente não deixa o bebê doente.

Em gestantes, o CMV pode passar para o bebê e infectá-lo. Isto pode ocorrer quando a mulher é infeccionada pela doença pela primeira vez na gestação, quando é infectada novamente durante a gestação, mas por uma variedade diferente de CMV, e/ou quando ocorre a reativação de uma infecção que ela já havia tido antes. O risco de transmissão do CMV para o bebê é maior durante a primeira metade da gestação.

 Sintomas do citomegalovírus

Recém-nascidos infectados com o CMV durante a gestação, parto ou por meio da amamentação costumam mostrar mais sintomas da doença do que os adultos. Sendo que os principais sintomas são:

  • Icterícia;
  • Manchas roxas na pele;
  • Baixo tamanho e/ou peso ao nascer;
  • Baço maior do que o normal;
  • Fígado maior e com problemas para funcionar;
  • Pneumonia;
  • Convulsões;
  • Menor tamanho da cabeça (microcefalia);
  • Prematuridade;

Também pode ocorrer do bebê nascer saudável e com o passar do tempo apresentar problemas como:

  • Perda de audição;
  • Perda de visão;
  • Problemas intelectuais;
  • Falta de coordenação;
  • Fraqueza e/ou problemas em usar os músculos;
  • Convulsão

Diagnóstico do citomegalovírus

É importante que a gestante faça o teste de sangue para saber se já foi infectada pelo CMV, infelizmente este exame não é pedido por muitos profissionais de saúde, por isso é importante pedi-lo para seu médico.  Mulheres que já tiveram a doença antes da gravidez, correm menos riscos de desenvolver a doença na gestação.

Caso a gestante tenha sido infectada durante a gestação, uma boa alternativa é realizar o exame amniocentese para saber se o bebê foi infectado também.

Se o médico suspeitar que o bebê contraiu o CMV durante a gestação é importante realizar o teste de sangue, saliva ou urina para detectar a doença até três semanas após o nascimento do bebê. Se esperar mais o teste pode ser inconclusivo.

Tratamento do citomegalovírus

Não há cura para o CMV. O tratamento recomendado para os recém-nascidos que apresentam é: tratar o sintoma em si, por exemplo, se o bebê está com pneumonia, a pneumonia deve ser tratada, e uso de remédios antivirais. Esses medicamentos antivirais diminuem a velocidade com que o vírus se reproduz, mas não o curam. Ainda estão sendo pesquisadas novas formas de tratar o CMV.

Prevenção do citomegalovírus para gestantes

Para evitar o CMV é preciso prestar atenção especial a sua higiene. Os cuidados necessários são:

  • Lave as mãos com frequência: use sabonete e água e lave as mãos por 15 a 20 segundos, especialmente se você entrou em contato com crianças pequenas ou com suas fraldas ou secreções orais;
  • Evite contato com lágrimas e saliva de crianças. Por exemplo, ao invés de beijar a criança nos lábios, beije na testa;
  • Evite dividir comida, beber no mesmo copo do que outras pessoas e dividir garfos ou facas;
  • Evite o contato com produtos que tem fluidos corporais, como uma fralda ou um lencinho para assoar o nariz;
  • Limpe brinquedos e outros objetos que tenham entrado em contato com a saliva ou urina de uma criança;
  • Pratique sexo seguro: use camisinha durante as relações sexuais para evitar a transmissão do CMV pelo sêmen ou fluidos vaginais;

Fontes consultadas:

Centro de Controle de Doenças do Governo dos Estados Unidos

Clínica Mayo

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários