Repelente na gravidez: cuidados e como usar

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Veja a maneira correta de aplicar o repelente na gravidez, quais os indicados e aqueles que devem ser evitados

Devido ao surto de zika vírus e sua relação com a microcefalia no bebê quando a mulher o contrai durante a gestação, o uso do repelente tornou-se algo essencial para todas as grávidas. Afinal, o zika vírus tem como principal agente transmissor o mosquito Aedes aegypti.

Ao aplicar o repelente é importante ficar atenta a frequência com que ele deve ser reaplicado. Procure ver as instruções no rótulo sobre de quanto em quanto tempo reaplicar e faça isso poucas horas antes do tempo determinado. “Em geral a frequência de aplicação é 2 a 3 vezes ao dia, lembrando que o mosquito da dengue/zika tem hábitos diurnos, devendo priorizar esse período”, explica a dermatologista Juliana Annunciato, da Clínica Essenza São Paulo.

Cadastre-se

Caso a mulher se molhe, seja suando muito, tomando banho, entrando no mar ou piscina, ela deve reaplicar o repelente, pois o efeito é perdido.

É importante ter alguns cuidados especiais na hora de passar o repelente. “Aplique nas áreas descobertas da pele e por cima das roupas, nunca por baixo. Isto porque o efeito dos repelentes se dá pelo ‘efeito nuvem’, ou seja, após a aplicação o repelente evapora e forma uma ‘nuvem’ de aproximadamente 4 cm em volta da pele que repele o inseto. Assim, não é recomendado usar o repelente por baixo das roupas, mas por cima dos tecidos”, explica Juliana Annunciato.

Justamente por esse efeito nuvem é preciso ter alguns cuidados especiais quando for passar o repelente na hora de dormir. “O ideal é que ao invés de passar no corpo antes de dormir, passar na roupa de cama, para evitar risco de intoxicação pelo produto”, orienta a ginecologista obstetra Heloisa Brudniewski.

O repelente deve ser aplicado sempre 15 minutos após o uso de filtros solares, maquiagem e hidratante. “Não aplique o produto próximo aos olhos, nariz ou boca e genitais, pelo risco de maior absorção nas áreas de mucosa e intoxicação”, conta Juliana Annunciato.

Sempre lave as mãos após aplicar o repelente. “Em caso de suspeita de qualquer reação adversa ou intoxicação, lavar a área exposta e, se necessário, procurar o serviço médico e levar a embalagem do repelente”, diz Juliana Annunciato.

Os tipos de repelentes mais recomendados para as gestantes têm sido: IR3535, que é tido como seguro para gestantes, sendo indicado, inclusive, para crianças de seis meses a dois anos, mediante orientação de um pediatra. “A duração da ação destes repelentes é curta e precisa ser reaplicado a cada duas horas”, afirma Juliana Annunciato.

O DEET também é considerado seguro em gestantes. Ele é recomendado para adultos (concentração de 15% do ativo) e dura cerca de 6h.  O ICARIDIN está sendo um dos mais procurados por adultos e gestantes. Com duração de proteção de até 10 horas.

Evite o uso de repelentes naturais como citronela e andiroba. “Eles têm rápida evaporação e, portanto, um tempo de proteção muito curto, de 10 a 20 minutos. Assim, não são considerados repelentes seguros para as gestantes”, observa Juliana Annunciato.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários