Pele e barriga no pós-parto: dicas para voltarem ao que eram antes

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Veja os principais tratamentos e cuidados para recuperar a pele e a barriga após o parto

Ter um bebê faz com que ocorram uma série de mudanças no corpo da mamãe. Sendo que duas das áreas mais afetadas são a barriga, já que foi lá onde o bebê cresceu por nove meses, e a pele. A seguir, veja quais os principais cuidados para que a barriga e a pele voltem ao que eram antes da gestação:

Barriga

Cadastre-se

É importante ressaltar que após abrigar um bebê por nove meses, é completamente natural que a barriga leve um tempo para voltar ao que era antes. Afinal, o útero aumentou muito durante a gestação e este crescimento ocorreu aos poucos ao longo de nove meses. Portanto, assim como ele demorou para aumentar de tamanho, o útero também vai levar um tempo para voltar ao normal. “Duas semanas após o parto o útero deixa de ser palpável no abdômen. De 4 a 6 semanas o útero regride ao tamanho normal”, explica o ginecologista e obstetra Ricardo Andrade Freire, do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco.

E até que a barriga se recupere completamente pode levar ainda mais tempo. “Não existe uma regra, mas de um modo geral demora uns 6 meses, podendo ficar uma flacidez mais duradoura e até permanente”, explica a dermatologista Caroline Assed Saad, assessora da diretoria da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Para recuperar a barriga após o parto, alguns cuidados são fundamentais, como ter uma alimentação saudável, rica em frutas, legumes, verduras, alimentos integrais e carnes magras, como peixes e frangos, e praticar exercícios, como caminhadas. Veja o que comer no pós-parto para emagrecer com saúde aqui. E veja quais exercícios praticar no pós-parto aqui. Lembre-se que amamentar também contribui muito para a perda de peso após o parto.

Outra alternativa interessante para recuperar a barriga após o parto pode ser a drenagem linfática. “Realizar drenagem linfática pode ser uma forma de tratar”, observa Leninha Valério do Nascimento, membro da Diretoria da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Quanto à flacidez na barriga, algumas outras atitudes também podem ajudar. “Aparelhos que estimulam colágeno, como radiofrequência, infravermelho e ultrassom microfocado são boas opções e podem ser feitos durante a amamentação”, afirma Caroline Assed Saad.

As estrias são mais difíceis de serem tratadas durante a gestação. “O uso de ácido retinóico e seus derivados não podem ser feitos por quem amamenta.  Já a carboxiterapia, o microagulhamento e lasers fracionados ablativos, como o laser de CO2, são boas opções, de preferência nas estrias recentes, e podem ser feitos durante a amamentação”, conta Caroline Assed Saad.

Manchas na pele no pós-parto

Durante a gestação a mulher pode desenvolver manchas na pele que continuam após o nascimento do bebê. Para trata-las no pós-parto, mesmo amamentando, existem algumas alternativas. “Clareadores mais fracos, como o ácido glicólico, o ácido dióico e a vitamina C podem ser usados, muitas vezes com bons resultados”, explica Caroline Assed Saad.

Veja mais

mae-francesa

Deixe uma resposta

Comentários