Bebê morre após babá cometer um erro ao colocá-la pra dormir e mãe a perdoa

Por: Bruna Romanini

Foto: Arquivo Pessoal

“Me perguntaram se eu tive vontade de bater na babá, nós nunca pensamos nisso só quisemos abraçá-la”, disse a mãe Nadine

A americana Francie Webb sempre gostou muito de crianças. Por isso, aos 14 anos quando lhe pediram para cuidar de uma bebê de 11 semanas e um menino de 2 anos porque seus pais precisavam ir a um casamento, ela aceitou na hora. Lembrando que nos Estados Unidos é um hábito muito comum adolescentes fazerem alguns “bicos” como babás.

Enquanto Francie cuidava das crianças tudo parecia bem. O menino de dois anos era um pouco agitado e a bebê Catherine estava um pouco nervosa, mas nada demais para Francie.

Cadastre-se

Após algum tempo Francie notou que Catherine estava cansada. “Então, a levei para cima, troquei sua fralda, a ninei um pouco e a coloquei para dormir. Mas eu a coloquei para dormir com a barriga para baixo. Na época a campanha sobre a importância de colocar o bebê para dormir com a barriga para cima ainda era muito pequena e eu não sabia sobre isso”, contou Francie em entrevista ao Kidspot.

Francie colocou Catherine para dormir com a barriga para baixo porque era o jeito que achava melhor, sem saber que a orientação é colocar o bebê para dormir com a barriga para cima.

O momento que mudou tudo

Pouco tempo após colocar a bebê para dormir, os pais das crianças retornaram e enquanto o pai levou Francie para sua casa, a mãe Nadine foi ver a bebê Catherine. Ao chegar lá, a pequena estava azul. Ela havia falecido de morte súbita. O mundo de Nadine parou. “Eu comecei a gritar e então meu marido chegou e tentou ressuscitá-la e depois veio o socorrista e ele também tentou ressuscitá-la por meia hora e quando ela chegou no hospital foi tentado de tudo, cirurgias, tudo. Mas como uma mãe, você sabe quando seu filho partiu”, disse Nadine em entrevista ao Kidspot.

Francie se lembra da ligação que recebeu naquela noite do hospital. “Foi inacreditável. Foi terrível e mesmo após tantos anos ainda dói muito pensar naquele momento. Eu me lembro de pensar nos dias, semanas e meses após isso que eu havia acabado com uma família”, disse Francie.

Em um ato de muito amor, a mãe da pequena Catherine não viu as coisas do mesmo jeito que Francie. Os dias que se seguiram a perda da pequena Catherine foram tão difíceis que Nadine sequer consegue se recordar direito deles. “Lembro que eu e meu marido costumávamos acordar e achar que tudo tinha sido um pesadelo”, disse Nadine.

Mas mesmo nestes momentos difíceis, eles nunca culparam a babá pelo que houve. E no funeral de Catherine, Nadine e seu marido abraçaram Francie. Um tempo depois, o casal decidiu se mudar para fugir das memórias e deram para Francie o ursinho Pooh que costumava ficar no quarto de Catherine. “Francie ainda o tem, o que me deixa muito feliz”, diz Nadine.

Culpa que cresceu

Apesar do carinho de Nadine e de sua família, a culpa de Francie só crescia. Até que um dia, ela teve um ataque de choro ao ler uma notícia de um bebê que morreu de morte súbita. E depois, desenvolveu uma crise de ansiedade. Foi quando Francie foi orientada por seu psicólogo a escrever uma carta para Nadine.

Uma carta que mudou tudo

Francie escreveu uma longa carta para Nadine, que havia se mudado para a Inglaterra. “Eu me sentei e chorei e chorei quando li a carta”, disse Nadine. Logo após lerem a carta, ela e o marido se olharam e decidiram comprar uma passagem de avião para que Francie fosse visita-los. “Decidimos vê-la e fazer as coisas ficarem bem”, conta Nadine.

E Francie foi. Quando as duas mulheres se viram novamente, elas se abraçaram e choraram. Depois, elas olharam para fotos de Catherine, viram vídeos da pequena e Francie brincou com o filho de Nadine.  “Um tempo depois uma mulher me perguntou se eu tive vontade de bater na babá. Que coisa terrível de se perguntar. Nós nunca pensamos nisso, nós só quisemos abraçá-la. Ela também foi afetada pelo que aconteceu e nós só quisemos que ela soubesse que era amada”, disse Nadine.

Da dor para o amor

Desde então as duas mulheres se tornaram grandes amigas. O filho mais novo de Nadine, Edward, tocou piano no casamento de Francie. Elas trocam e-mails e se telefonam regularmente.

A memória da pequena Catherine nunca está longe. Anos após tudo, Nadine afirma que mantém até hoje consigo a positividade que a pequena Catherine trouxe para eles no pouco tempo que viveu.

Após a maior proximidade com Nadine, Francie conseguiu finalmente se perdoar. E pode continuar com seu amor pelas crianças, ela se tornou uma professora infantil e atuou nesta área por muitos anos até passar a atuar como doula e ensinar outras mães a lidarem com os problemas na amamentação. Ela também teve duas filhas.

Parir e ajudar outras mulheres a terem seus filhos e a alimentá-los foi para Francie sua última homenagem à pequena Cahterine. “Apesar de tudo que ocorreu, eu pude me redimir e trazer vidas para este mundo”, disse ela orgulhosa.

francie-filhas

Foto de Francie com a filha mais velha e grávida da mais nova.

Veja mais

adriana-rodrigo-bebe

Deixe uma resposta

Comentários