Diástase abdominal pós-parto: saiba tudo sobre

Por: Bruna Romanini

Foto: Reprodução Clínica Mayo

A seguir entenda quais as causas da diástase abdominal pós-parto e seu tratamento

A diástase abdominal no pós-parto é uma condição que afeta uma em cada quatro mulheres que engravidaram. Ela ocorre porque durante a gestação, os músculos do abdômen se esticam muito. Após se esticarem tanto, dois músculos que ficam de forma paralela e vertical no meio do abdômen podem acabar não conseguindo voltar totalmente e ficam mais separados um do outro. Esta condição é chamada de diástase abdominal.

A diástase ocorre no final da gestação, mas costuma ser notada apenas no pós-parto. Com o passar do tempo, os músculos costumam se aproximar novamente. Porém, uma separação ainda se mantém pelo resto da vida.

Cadastre-se

Além de ter uma aparência que não agrada muitas mães, a diástase também pode levar a complicações como   enfraquecimento dos músculos do abdômen o que leva a dor na parte de baixo das costas tornando difícil levantar objetos e fazer outras atividades do dia a dia.

Se você acredita que tem diástase, converse com seu médico sobre o assunto. Alguns exercícios no pós-parto podem ajudar a recuperar a força abdominal. Um fisioterapeuta poderá orientar sobre quais as melhores opções.

Caso a diástase esteja interferindo na sua rotina do dia a dia, a cirurgia pode ser necessária. Caso o aspecto do abdômen esteja incomodando, a cirurgia plástica também é uma alternativa.

As chances da mulher desenvolver diástase abdominal aumentam se ela:

  • Tem mais de 35 anos;
  • Teve mais de uma gestação;
  • Teve um bebê muito grande;
  • Teve gestação de múltiplos

Saiba mais sobre barriga no pós-parto aqui.

Fonte consultada:

Clínica Mayo

Veja mais

adriana-rodrigo-bebe

Deixe uma resposta

Comentários