É assim que a amizade realmente fica após a chegada do bebê

Por: Bruna Romanini

Foto: Arquivo Pessoal

“Eu aprendi que a amizade com minha amiga de uma vida inteira nunca mais seria a mesma, e por isso eu sou eternamente grata”

A blogueira Jennifer Lizza do blog Outsmarted Mommy escreveu um lindo texto sobre como ficam as amizades verdadeiras após a chegada do bebê. Você certamente irá se identificar, confira e mostre para aquela sua amiga querida:

“Nós todos temos aquela amiga. Sabe, aquela amiga que passou por todos os momentos com você. Ela viu você no seu pior e te amou mesmo assim. Ela te ajudou a superar términos, segurou o seu cabelo quando você exagerou nas bebidas e riu disso no dia seguinte. Essa amiga também sempre te encorajou a ser o seu melhor. Ela te parabenizou no seu primeiro emprego e ficou sorrindo de orelha a orelha quando você disse a ela que havia conhecido o amor da sua vida. Ela é a pessoa com quem você pode sempre contar.

Cadastre-se

Seus amigos de longa data sabem mais sobre você do que você quer admitir. São amigos com os quais você brigou junto, riu junto e chorou junto. Eles estiveram lá em todos os grandes momentos de sua vida e enquanto a vida fica mudando constantemente, provavelmente não há mudança maior do que ter o seu primeiro filho. Se algum amigo seu te disser que ter um filho não muda nada, é melhor reconsiderar essa amizade. Ter um filho muda todas as coisas. TODAS. AS. COISAS.

Eu sei disso porque eu costumava ser a pessoa que achava que ter um filho não iria mudar minhas amizades de nenhuma forma. Mas deixe eu te dizer uma coisa, ter um bebê muda as suas amizades. Algumas amizades crescem e ficam mais fortes e outras se tornam mais fracas. Algumas se tornam tão fracas que são levadas pelo vento para sempre, enquanto outras se tornam tão fortes que duram a vida inteira.

A maneira como eu imaginava que seriam os meus primeiros dias com o bebê eram só isso: imaginação. Eu não tinha ideia do quão difíceis eram os primeiros dias com o bebê. Haviam noites mal dormidas, vontade de chorar, noites mal dormidas, e, ahn, eu mencionei noites mal dormidas?

Quando eu cheguei em casa, eu estava muito feliz. Eu fui uma daquelas gestantes que tinha um plano perfeito de como iria criar meu filho, e ele envolvia a amamentação exclusiva.

Mas amamentação não foi nem um pouco fácil para mim. Eu tive muitas dificuldades para amamentar e tentei de tudo. Meus mamilos racharam tanto que eu tinha certeza que eles iriam cair! Meus mamilos iriam cair e eu jamais voltaria a dormir, era isso que eu achava. Para piorar tudo, meu filho teve refluxo, então alimentá-lo era ainda mais difícil. Meu marido trabalha em turnos de 24 horas e eu ficava muito sozinha. E eu fiquei mal.

Uma noite, eu me sentei na sala com meu recém-nascido chorando e meu cachorro olhando para mim com uma cara de “Moça, você não faz ideia do que você está fazendo”. Mas eu sabia o que eu tinha que fazer. Peguei o telefone e liguei para minha amiga. Quando eu a ouvi dizer “oi” tudo que eu pude fazer foi chorar. As únicas palavras que pude dizer entre as lágrimas foram: “Isto é muito mais difícil do que eu imaginava que seria. Eu estou tão sozinha e meu filho não quer comer, dormir e não para de chorar”.

Dez minutos depois, bateram na minha porta. Lá estava ela, com um creme para os seios, um sorriso e os braços abertos. E eu vou dizer uma coisa: não havia nada que pudesse me fazer mais feliz do que ver minha amiga naquele momento. Era minha amiga de longa data pronta para me mostrar que ter um bebê muda muitas coisas, mas que mudanças não são uma coisa ruim.

Ela chegou, pegou meu filho, calmamente o embalou e de algum jeito fez ele dormir. Ela me passou o creme para os mamilos. Nós nos sentamos enquanto eu chorava e em pouco tempo ao lado dela o choro se transformou em risada. Nós rimos e concluímos que de todas as coisas que já passamos, eu ter me tornado mãe realmente era a mais louca de todas elas.

Eu aprendi duas coisas naquela noite. Eu aprendi que cremes para o mamilo são como ouro e que bebês realmente mudam tudo. Mas que mudança nem sempre é algo negativo. Naquela noite eu aprendi que minha amizade com minha amiga de uma vida inteira nunca mais seria a mesma, e por isso eu sou eternamente grata”.

Veja mais

mae-francesa

Deixe uma resposta

Comentários