“Essa cicatriz é algo para celebrar, assim como a vida dos meus filhos”, diz mãe

Por: Bruna Romanini

Foto: Reprodução DailyMail

Veja quando ela é considerada alta, como baixar e o momento de procurar o pediatra

A mamãe e fotógrafa australiana Danielle Burrows, 34 anos, escreveu uma linda carta para seus filhos sobre as mudanças que seu corpo passou para que eles pudessem nascer. O texto faz parte de seu filho “Cartas para meus filhos”. A seguir, confira estas lindas palavras, você certamente irá se identificar:

“Para meus filhos queridos,

Cadastre-se

Este assunto pode fazer vocês se sentirem um pouco desconfortáveis, mas saibam que na verdade trata-se de algo bom.

Abram seus olhos, seu coração e sua mente para olhar além das falhas físicas, para que possam enxergar a beleza que essas falhas representam.

Meu corpo mudou desde que eu os carreguei no meu ventre.

Antes da gestação, eu usava tops e hoje uso camisetões para cobrir o tamanho dos meus quadris.

Antes da gestação, eu usava um piercing no umbigo para mostrar a barriga, agora eu uso uma cinta para esconder.

Enquanto seus corpinhos cresciam e se desenvolviam dentro de mim, o meu corpo também crescia. No começo era muito divertido ver o quanto minha pele podia esticar a cada nova semana.

Depois, conforme seus corpinhos cresciam dentro de mim, as mudanças rápidas que ocorriam no meu corpo começaram a doer e não importava o quanto de vitamina E que eu passasse, as estrias ainda insistiam em aparecer.

Minha coluna e meus quadris foram os próximos que passaram a doer devido à pressão da barriga, mas eu continuava dizendo para mim mesma “Tudo isso vai valer a pena. Você consegue fazer isso”.

A última mudança irreversível no meu corpo foi jogada diante de mim pela minha médica.

Minhas mãos e pés tremeram juntos quando a médica olhou nos meus olhos e disse com compaixão, “Infelizmente, você não poderá ter um parto normal”.

Na época eu não entendi completamente o que cada uma dessas mudanças significavam para mim. Até após o parto meu corpo começou a tentar voltar para a forma original e nem tudo conseguiu voltar ao que era antes.

Minha barriga estava muito diferente do que era, com uma enorme cicatriz de cesárea, estrias e pele flácida.  Meu umbigo jamais seria o mesmo.

Sei que todos têm algumas partes do corpo que não gostam.

Eu também tenho. Mas, a minha barriga e suas marcas não são uma delas.

Minhas marcas da gestação e do parto não são algo para eu me envergonhar.

Essas marcas são algo para se celebrar, assim como a vida de vocês.

Elas são uma constante lembrança dos presentes mais maravilhosos que eu já ganhei.

Elas são marcas de amor e eu as tenho com muito orgulho e gratidão.

Com todo meu amor, mamãe”.

Veja mais

prefencial-mae-amamenta-lactente1
mulher-tiaguinho-gravida-chape

Deixe uma resposta

Comentários