Vacinas no pós-parto: as indicadas e as proibidas

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Entenda também a importância de cada uma das vacinas no pós-parto para as mães que amamentam

A vacinação no pós-parto é muito importante caso a mulher não tenha tomado as injeções necessárias antes de engravidar e na gestação. “A ideia da vacinação no pós-parto é proteger o bebê, pois os anticorpos adquiridos pela mãe na imunização passam para o leite materno e protegem o bebê. Se a mulher não foi vacinada não consegue produzir anticorpos que vão proteger o bebê no primeiro ano de vida”, explica a pediatra Isabella Ballalai, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

A seguir listamos as vacinas que as mães precisam tomar, caso não tenham se imunizado com elas na gestação ou antes de engravidar:

Cadastre-se

Varicela (catapora)

Caso a mãe não tenha tido catapora e não tenha se vacinado é essencial se imunizar no pós-parto. “O bebê só receberá esta vacina a partir de um ano de idade e é importante que ele esteja protegido antes, pois nos primeiros meses de vida esta doença pode ser mais grave”, alerta Isabella Ballalai.

Esta vacina deve ser tomada em duas doses, com intervalo de um a três meses entre elas. Esta vacina não é indicada durante a gestação. No pós-parto ela pode ser tomada depois de dar à luz.

Tríplice viral

Esta vacina não é indicada na gestação, portanto, se a mulher não a tomou antes de engravidar, deve se vacinar no pós-parto. Esta vacina protege contra sarampo, caxumba e rubéola. Esta vacina está disponível em postos públicos e privados de vacinação.

Tríplice bacteriana acelular do tipo adulto

Esta vacina tem como objetivo imunizar contra o tétano, coqueluche e difteria, estas doenças são muito perigosas e que podem ser letais para o recém-nascido. Ela é especialmente orientada na gestação, mas se a mulher não a tomou nesta fase, deve ser vacinada no pós-parto. “Esta vacina deve ser repetida a cada gestação”, orienta Isabella Ballalai.

Hepatite B

Esta vacina é especialmente importante na gestação, pois se o recém-nascido contrair a hepatite B as chances de se tornar crônica é de 90%. Porém, caso a mulher não tenha tomado esta vacina na gestação, é importante se imunizar no pós-parto, tanto para sua saúde quanto para futuras gestações. Esta vacina pode ser tomada depois de dar à luz e também na gestação.

Influenza

A vacina contra influenza é recomendada ainda na gestação, porém se a mulher não se imunizou nesta fase pode e deve realizar isto no pós-parto. “O bebê tem maior risco de gripe e ao se vacinar a mãe irá proteger seu filho”, explica Isabella Ballalai.

Hepatite A

Caso a mãe não tenha se vacinado contra a hepatite A, é importante se proteger no pós-parto. Isto porque em adultos a hepatite A causa uma inflamação no fígado e pode apresentar sintomas como dores musculares, vômito, cansaço, mal-estar e náuseas. Também há o risco da hepatite A evoluir para um quadro fulminante em que o fígado vai a falência rapidamente.

Meningocócica conjugada

Esta vacina protege contra a meningite causada por bactéria, que é o tipo mais grave. Existem duas vacinas, uma que protege apenas contra a meningocócica C, que representa 80% dos casos, e há aquela que protege contra A, C, W e Y. Esta doença pode causar paralisia, perda de visão, audição e funções cerebrais.

Vacina proibida no pós-parto

Febre amarela

A vacina contra a febre amarela não é indicada para as mulheres que amamentam.

Veja quais as vacinas indicadas durante a gravidez aqui. 

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários