Clavícula quebrada no recém-nascido: causas e cuidados

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Entenda por que a fratura na clavícula do recém-nascido ocorre e o que fazer diante da lesão

A fratura da clavícula do recém-nascido pode ocorrer devido à uma distócia dos ombros. “A distócia é a denominação médica de um distúrbio ou uma dificuldade que pode ocorrer durante o parto. Essa distócia ocorre quando a distância entre os ombros do bebê é muito grande em relação ao canal do parto. Desse modo durante a execução das manobras normalmente realizadas para liberar os ombros do bebê durante o parto pode ocorrer a fratura”, explica o pediatra Rui Maciel de Godoy Junior, membro da Sociedade de Pediatria de São Paulo.

Felizmente, esta é uma complicação extremamente rara que pode ocorrer durante o parto normal e tem um tratamento simples que leva a recuperação completa. “Inicialmente o recém-nascido deve ser examinado por um ortopedista com experiência no tratamento de crianças (ortopedista pediátrico). Deve ser realizado um exame físico detalhado do bebê para o diagnóstico correto. Podem ser necessárias também as radiografias. É preciso constatar se há outras lesões ou não. Se a fratura for a única lesão o braço do bebê deverá ser imobilizado até que a fratura esteja consolidada(cicatrizada). O tempo de imobilização varia entre duas a três semanas”, explica Rui Maciel de Godoy Junior.

Cadastre-se

Uma vez comprovado que o bebê sofreu a fratura na clavícula, mãe deve seguir todas as orientações do ortopedista. Deve observar a manutenção da imobilização e evitar fazer pressão sobre o local da fratura. “Deve ainda informar o médico sobre qualquer anormalidade que ocorra com o bebê. Caso não consiga contato com o médico deverá levar a criança a um pronto socorro para que eventuais intercorrências com a fratura e/ou com a imobilização sejam sanadas”, observa Rui Maciel de Godoy Junior.

Lembrando que a rara chance do bebê sofrer uma fratura na clavícula durante o parto normal NÃO é um argumento para realizar uma cesárea agendada. Isto porque a cesárea agendada favorece uma série de complicações graves para a mãe e o bebê, como aumento de risco de morte materna e maiores complicações respiratórias no bebê. Confira todos esses problemas aqui.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários