Choro do bebê: os principais tipos

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Veja como identificar o choro de fome, se sono, de carência e muitos outros

Será que o bebê está chorando por fome? Ou será que é sono? Ou fralda suja? As diferentes características dos choros do bebê podem indicar qual é o problema. “Porém, em primeiro lugar, saiba que o choro do bebê nem sempre vai apresentar uma característica que seja possível identificar prontamente a causa do choro, por vezes, temos que usar o método ‘tentativa e erro’ até atender o desejo da criança”, explica o pediatra Benjamin Roitman, membro da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul.

A seguir, confira quais as principais características dos choros de cada necessidade do bebê:

Cadastre-se

Choro de fome

O choro de fome costuma ser o mais comum, ao menos é a primeira tentativa dos pais para acalmar o bebê: alimentá-lo. “Por vezes inicia-se com um choro leve que para e recomeça, vai evoluindo para um choro mais intenso se não atendido. Se a mãe tem pouco leite, lembre-se, não há leite fraco, a criança chora todo o dia. Acalma-se logo após a mamada, mas em pouco tempo volta a chorar, pois não ficou saciada”, observa Benjamin Roitman. Veja como descobrir se o bebê está mamando o suficiente aqui. E como aumentar o leite materno aqui.

Choro de carência

Este tipo de choro não tem uma característica especial, mas o fato é que a criança acalma-se assim que a mãe ou o pai pega-a no colo. “Se for dor ou fome ela não vai parar de chorar”, diz Benjamin Roitman.

Choro de dor

O choro de dor é mais forte, constante, não acalma com o colo ou alimentação. “As famosas ‘cólicas’ geralmente são diagnóstico de exclusão. Após tentar amamentá-lo, trocá-lo, pegar no colo, conversar com a criança, o choro persiste, é forte e há irritação”, afirma Benjamin Roitman.

Choro de desconforto

Este choro é muito similar ao de dor. A diferença é simples, assim como o desconforto pode evoluir para a dor, o choro de desconforto irá começar mais fraco e pode ficar mais forte se o pequeno passar a sentir dor.

Choro de “manha”

Desde que nasce o bebê sente-se inseguro em muitas situações e acalma-se no colo, no seio da mãe. “Por vezes, ele mama apenas para diminuir o stress, não por fome. É comum à noite a criança acordar e necessitar da presença de alguém, apenas para se acalmar”, observa Benjamin Roitman. Nestes casos, o pequeno mama, mas não é fome. “O que ele quer é a presença de alguém. E isso pode se tornar um hábito, um problema. Choro de manha pode ocorrer desde o nascimento mas torna-se mais comum após os 3 meses”, conta Benjamin Roitman.

Choro de susto

O choro de susto é de início súbito ao ouvir um barulho, ao ver alguém ou em alguma situação que a criança sinta como ameaçadora. “É um choro intenso e difícil de consolar”, afirma Benjamin Roitman.

Choro do nascimento dos dentinhos

Quando a criança sente dor com o nascimento dos dentinhos, ela tem um impulso constante de morder objetos, baba muito e chora. “Pode acompanhar febrícula e fezes amolecidas. Lembrando que a ‘fase oral’ quando a criança põe tudo na boca, vai dos 3 meses até 1 ano. Ou seja, colocar a mão na boca não é necessariamente sinal de dente”, conta Benjamin Roitman. Veja como aliviar a dor do nascimento dos dentinhos aqui. 

Choro de frio ou calor

O choro é a maneira do bebê demonstrar seu desconforto e frio e calor também causam desconforto. “Ver se o pescoço está aquecido mostra que ele não está com frio. Se a criança está toda vermelha, suando, pode ser calor. Não valorize a temperatura das mãos e dos pés. É comum ter extremidades frias”, diz Benjamin Roitman.

Choro de sono

Quando a criança não está com frio ou calor, está bem alimentada, fralda limpa e não é dor, provavelmente é sono. “A criança parece ‘brigar’ com o sono, os olhos quase fechando e choro irritado”, explica Benjamin Roitman.

Choro de fralda suja

Para este tipo de choro é válido a tentativa e erro. Observe se a fralda do pequeno está suja e se estiver, o choro era de fralda suja 🙂

Veja atitudes que aliviam o choro do bebê aqui. 

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários