Descoberto comportamento do bebê nos primeiros meses que indica autismo

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Bebês que prestam pouca atenção no rosto das pessoas têm maiores chances de serem autistas

Desde o nascimento, as pessoas demonstram uma preferência natural pelo contato e interação com seres humanos, incluindo a interação com as faces e vozes das pessoas. Porém, pessoas autistas não mostram esta mesma preferência.

Uma pesquisa publicada na revista científica Biological Psychiatry e elaborada por pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, descobriu que aos seis meses de vida bebês que no futuro foram diagnosticados com autismo já desviavam o olhar de rostos, especialmente quando estes rostos estavam falando com eles ou realizando expressões, como sorrir.

Cadastre-se

Os pesquisadores descobriram isso após mostrar para bebês vídeos de pessoas sorrindo e falando com eles. O comportamento dos bebês diante desses rostos foi analisado pelos especialistas. Três anos depois os pesquisadores se reencontraram com essas crianças. Foi quando eles descobriram que as crianças que haviam sido diagnosticadas com autismo foram aquelas que aos seis meses de vida olharam menos para as faces e desviaram o olhar quando a pessoa falava com elas. Na época do teste, estes bebês também olhavam menos para os olhos das pessoas.

Então, os pesquisadores sugerem que apesar de o autismo não poder ser diagnosticado até os dois anos de idade, aos seis meses de vida os bebês já dão alguns sinais deste problema. “Está claro que os sintomas do autismo aparecem muito antes de quando a doença é tradicionalmente diagnosticada”, destaca John Krystal, editor da revista científica que publicou o estudo.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários