Cigarros e gravidez

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Entenda por que fumar durante a gestação é tão prejudicial para a saúde

Os riscos de fumar são muitos para qualquer pessoa, porém para as gestantes a situação fica ainda mais difícil. Isto porque a nicotina, substância presente no cigarro, atravessa a barreia placentária e suas concentrações na circulação fetal, no líquido amniótico e na placenta chegam a ser maiores do que as observadas na circulação materna.

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) aponta as complicações que as gestantes que fumam têm maiores chances de desenvolver: aborto espontâneo, nascimento prematuro, bebê de baixo peso, morte fetal e de recém-nascido, complicações com a placenta e episódios de hemorragia.

Cadastre-se

O risco do aborto espontâneo é 70% maior, de acordo com alguns estudos, o filho de uma mãe fumante ainda tem o dobro de chances de nascer abaixo do peso. Não existe uma quantidade segura que a grávida pode fumar. Um único cigarro já consegue acelerar em poucos minutos os batimentos cardíacos do feto devido aos efeitos da nicotina no aparelho cardiovascular do pequeno.

O fumo passivo também não é seguro para as gestantes, então procure ficar distante de pessoas que estão acendendo seus cigarros. E nada de voltar a fumar após a chegada do bebê, pois a nicotina também pode chegar ao bebê por meio do seu leite. O melhor a fazer é largar o cigarro enquanto está tentando engravidar, assim você ainda aumenta as suas chances de conceber!

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários