Tireoide na gravidez: entenda o que muda

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Entenda qual é a relação entre a gestação e o hipotireoidismo e o hipertireoidismo, saiba o que muda na tireoide na gravidez

A gestação afeta muito o funcionamento da tireoide da mulher. “Na gravidez, a demanda de hormônio tireoidiano aumenta 30% a 50%, elevando assim a necessidade de hormônios tireoidianos”, explica o endocrinologista Alex Leite, do Hospital São Luiz Morumbi.

Por serem inespecíficos, os sintomas de alteração da função tireoidiana na gestação podem ser confundidos com a sintomatologia comum da mulher grávida. “Portanto, a verificação laboratorial é de grande valia para detectar possíveis alterações nesta fase da mulher. A avaliação da função tireoidiana é feita por meio de exame de sangue que em geral faz parte do grupo de exames solicitados pelos obstetras quando da primeira consulta de pré-natal”, diz Alex Leite.

Cadastre-se

Hipotireoidismo na gravidez

O hipotireoidismo é mais comum na gravidez. Caso não seja tratado, ele pode causar uma série de problemas na gestação como: parto prematuro, abortamento precoce e até mesmo atrapalhar o desenvolvimento neurológico do bebê.

O tratamento do hipotireoidismo na gestação é feito com o hormônio tireoidiano Levoutiroxina. “A dose deve ser ajustada no sentido de manter o TSH, exame que diagnostica o hipotireoidismo e o hipertireoidismo, dentro da faixa de referência do período gestacional em questão”, diz Alex Leite.

Hipertireoidismo

O hipertireoidismo não tratado pode favorecer o trabalho de parto prematuro e também o aparecimento de pré-eclâmpsia. “O tratamento depende do grau de hipertireoidismo. Casos mais severos precisam de tratamento com droga anti-tireoidiana, enquanto que casos mais leves podem ser tratados clinicamente sem necessidade de intervenção medicamentosa”, conta Alex Leite.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários