Bebê tem as duas pernas amputadas após sofrer abusos dos próprios pais

Por: Bruna Romanini

bebê sofreu agressão dos pais

Foto: Reprodução BBC

O bebê tinha apenas um mês quando ficou entre a vida e a morte por causa dos abusos de seus pais

O bebê Tony Smith tinha apenas seis semanas quando precisou ter as duas pernas amputadas. O que fez uma criança que nasceu muito saudável precisar passar por algo tão extremo? A resposta é ainda mais triste: o abuso que ele sofreu dos próprios pais, Jody Simpson, 24 anos, e Tony Smith, 46.

Em suas primeiras seis semanas de vida, o pequeno sofreu tantas agressões dos pais, que boa parte de seu corpo estava com fraturas. Seus pais só o levaram para o hospital quando a sua saúde se agravou muito e ainda disseram aos médicos que parecia que o bebê tinha uma gripe.

Links Patrocinados

Quando os profissionais de saúde examinaram o pequeno, ficou óbvio que não era uma simples gripe. O bebê havia sofrido uma série de agressões e em consequência disso fraturou gravemente as duas pernas. Ele também desenvolveu septicemia.

Os médicos relataram na época que a dor do bebê era tanta, que continuava mesmo após eles terem dado morfina ao bebê. O pequeno ficou entre a vida e a morte e graças à dedicação dos médicos, ele conseguiu sobreviver, mas precisou ter as duas pernas amputadas.

Links Patrocinados

Este caso ocorreu em 2014 em Kent na Inglaterra. Agora, o juiz emitiu a sentença contra os pais da criança. Ambos foram condenados a dez anos de prisão pelos maus tratos contra o filho.

Na sentença, o júri também foi informado que o bebê foi adotado por outra família. Ele teve seu nome mudado e sua nova família informou, por meio da promotora de justiça, que hoje ele é um menino feliz.

“Quando ele chegou para sua nova família, ainda estava com muita dor. Os primeiros meses foram difíceis, o bebê estava tomando antibióticos fortíssimos e com muita dor. Além disso, ele estava completamente fechado emocionalmente, não havia expressão em seu rosto e olhos. Mas sua família adotiva cuidou muito bem dele. Hoje ele faz parte de uma família muito feliz, que o ama imensamente. Os pais adotivos do bebê, também quiseram informar que os abusos sofridos tiveram um impacto no menino. Porém, o menino não deixa este passado definir quem ele é e hoje ele é um menino muito feliz e amado”, disse a promotora Healther Stangoe.

Veja mais

Comentários

Links Patrocinados