Junior fala sobre o único brinquedo que NÃO vai deixar seu bebê brincar

Por: Bruna Romanini



Foto: Reprodução/ Instagram

O músico Junior Lima falou sobre qual é o brinquedo que não vai deixar seu bebê brincar e explicou

O músico Junior Lima está prestes a se tornar papai. Sua esposa, Mônica Benini está grávida de nove meses do primeiro filho do casal, o pequeno Otto. “Não tem como não ficar ansioso. Acho que estou até tranquilo, mas rola uma ansiedade. Não tem jeito”, disse Junior em entrevista ao Vídeo Show.

Neste entrevista, Junior também falou sobre qual é o tipo de brinquedo que não vai deixar seu bebê brincar. O músico disse que irá evitar que o pequeno entre em contato com brinquedos tecnológicos. “Vamos priorizar o analógico na infância, nós somos da última geração que pegou a transição do analógico para o digital e temos a relação com as coisas, com a terra, com a fruta, com escrever. Deem brinquedos educativos, de madeira, analógicos e deixe o digital para quando seu filho ficar mais velho”, afirmou Junior.

Cadastre-se

Junior também falou que vai deixar seu filho brincar com os instrumentos musicais. “Meu filho vai crescer em uma casa com muitos instrumentos e vai ter a possibilidade de brincar com isso, não que eu queira levar ele para música, mas acho que isso desenvolve muito a criatividade, a imaginação…A música atua na mesma região do cérebro que a comunicação, a linguagem e a fala”, explicou Junior.

O problema dos brinquedos tecnológicos para os bebês

A Academia Americana de Pediatria (AAP) também tem um posicionamento semelhante ao do músico Junior quando o assunto é expor o bebê a brinquedos tecnológicos, Ipad, celulares e outras telas.

De acordo com a AAP, as últimas pesquisas têm apontado que expor o bebê a muita televisão, celular, entre outras telas e brinquedos tecnológicos, contribui para o atraso da fala, faz com que no futuro a criança tenha maior dificuldade de alfabetização e também tenha problemas de memória. Até mesmo o sono e a capacidade de prestar atenção podem ser afetados por muito tempo com brinquedos tecnológicos e outras telas.

Os pediatras da AAP resumiram a questão com o seguinte exemplo: “Se você é o que você come. Então, o seu cérebro é o que você vivencia, e a televisão e o celular e outras tecnologias seriam como ‘fast food’ para o cérebro do bebê.

O problema não está somente na atividade assistir televisão ou brincar com o celular ou tablet, o problema está também no que o bebê deixa de fazer quando está vendo televisão ou brincando com brinquedos tecnológicos. Isto porque é essencial para o bom desenvolvimento do bebê que ele interaja o máximo possível com pessoas e não com telas.

E se não for possível interagir com seu bebê. Saiba que ele aprende muito mais brincando sozinho com seus brinquedos do que assistindo televisão ou no celular.

Para se ter uma ideia, os pais falam cerca de 940 palavras por hora com um bebê quando a televisão está desligada, mas se a televisão estiver ligada, mesmo que ninguém esteja assistindo, o número de palavras cai para 770! E menos palavras trocadas com o bebê significam menos aprendizado.

Por isso tudo isso, lembre-se: nada de televisão, Ipad, celular e brinquedos tecnológicos para bebês menores de 2 anos. E mesmo após os dois anos, a orientação da AAP é que os pequenos vejam apenas uma hora de televisão por dia até os cinco anos de vida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Veja mais

Karina Bacchi e Enrico

Comentários





Veja mais