Médico se recusa a atender recém-nascido no hospital e bebê morre

Por: Bruna Romanini



Foto:Reprodução Youtube

O médico foi preso pela polícia do Maranhão após se recusar a atender o recém-nascido que faleceu minutos depois

O médico Paulo Roberto Penha, 44 anos, foi preso nesta quinta-feira (1º) após se negar a socorrer um recém-nascido que chegou ao hospital no qual ele estava de plantão. O caso ocorreu em Maranhão no município de Pinheiro.

De acordo com informações da Polícia Militar, o recém-nascido veio da cidade de São Bento de ambulância. Conforme relatou a enfermeira que estava com o bebê na ambulância, em vídeo feito pela polícia, o pequeno havia passado por sofrimento fetal. “A criança estava em sofrimento fetal, com três circulares de cordão e sentado. A gente chegou na porta do Hospital Materno Infantil da cidade de Pinheiro. Ai veio a enfermeira e falou que o médico não poderia atender porque eles não estavam recebendo pacientes de São Bento que a filial era a cidade de Viana. Só que o bebê está com quase nada de batimentos! Viana é mais longe e o SUS é universal!”, disse a enfermeira.

Cadastre-se

Diante da recusa ao atendimento, a enfermeira chamou a polícia. Porém, minutos após a recusa do médico, o bebê não resistiu e morreu na ambulância na porta do hospital.

Quando os polícias chegaram, eles autuaram o médico em flagrante por homicídio culposo e, se não pagar fiança correspondente a 50 salários mínimos (equivalente a R$ 47,7 mil) ele será transferido para o presídio ainda nesta quinta.

Segundo a polícia, o médico não saiu do seu quarto nem para atender o recém-nascido e nem para dar explicações aos policiais. Diante da recusa de Paulo Roberto, os policiais decidiram prender o médico pelo crime de omissão de socorro.

Segundo informações da Polícia Militar, o recém-nascido chegou em estado grave ao Hospital Materno Infantil em uma ambulância da cidade de São Bento, que fica a 63 km de Pinheiro. No entanto, Paulo Roberto alegou que não atenderia um paciente de outro município por determinação do hospital.

O delegado de Pinheiro, Carlos Renato de Azevedo, informou ao portal G1 que o médico disse no depoimento que não prestou socorro por causa de uma determinação da direção do hospital para que não atendessem pacientes de outras cidades – que deveriam ser levados para Viana, município a 126 km de Pinheiro.

O Hospital Materno Infantil enviou uma nota ao portal G1 na qual informou que ao chegar à unidade de saúde o recém-nascido já estava morto devido às condições inadequadas de transporte em que a criança foi levada até o hospital. O hospital alega que a responsabilidade do óbito é do médico que autorizou o deslocamento do bebê de São Bento até Pinheiro e informou ainda que todos os hospitais do município de Pinheiro sempre prestam atendimento aos pacientes de todos os municípios do Maranhão.

Veja a seguir o vídeo que os polícias fizeram com o médico:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Veja mais

Comentários





Veja mais