Psicóloga lista 6 cuidados do passado que são muito bons pros bebês

Por: Bruna Romanini

Foto: Reprodução

Após realizar três estudos sobre desenvolvimento infantil, a psicóloga Darcia Narvaez  fez descobertas incríveis sobre os bebês

Três novos estudos conduzidos pela Professora de Psicologia da Universidade de Notre Dame, Darcia Narvaez, mostram uma relação entre as práticas de criação de crianças comuns nas sociedades de caçadores-coletores (como nós humanos passamos cerca de 99% de nossa história) e a melhor saúde mental, maior empatia, inteligência e conscientização das crianças.

“Nossas pesquisas mostraram que as raízes da moral se formam no começo da vida, quando ainda somos bebês, e depende do apoio da família e comunidade”, disse a psicóloga Darcia Narvaez, que é especializada em moral e desenvolvimento infantil.


Cadastre-se

E Darcia Narvaez observou que a falta de alguns cuidados do passado está fazendo com que muitas crianças desenvolvam problemas de comportamento. “O jeito como criamos nossos filhos hoje está cada vez mais privando-os de um bem-estar e de um senso de moral”, afirma Narvaez. E de fato, as taxas de ansiedade e depressão entre crianças estão cada vez mais altas entre os países ocidentais.

Por isso, a psicóloga listou quais são as seis atitudes dos nossos antepassados que contribuem e muito para o bom desenvolvimento dos bebês e que muitos dos pais não praticam mais. Veja quais são elas:

  • Responder ao choro ou outras necessidades emocionais do bebê prontamente. “Você não pode mimar um bebê. Atender as necessidades de um bebê o quanto antes é importante para que ele não fique triste e não corra o risco de desenvolver o estresse tóxico. Responder às necessidades acalma o cérebro do bebê em um ano no qual ele está formando sua personalidade e a maneira como irá lidar com o mundo”, observa Narvaez;
  • Muito toque! Segurar o bebê no colo frequentemente, ao invés de deixa-lo no carrinho ou em outros locais;
  • Realizar a amamentação prolongada, por dois anos ou mais;
  • Múltiplos cuidadores, ou seja, o bebê não ser cuidado apenas pelo pai ou a mãe, mas também pelos avós, tios e outros membros da família ou amigos que amem o bebê. Os pais precisam do apoio dos outros familiares e amigos na criação dos filhos;
  • Deixar as crianças brincarem muito e o mais livre possível;
  • Realizar o parto normal, sempre que este for possível, é claro. Isto porque no parto normal o organismo da mulher libera hormônios, como a ocitocina, que ajudam bastante na hora de cuidar do recém-nascido.

Veja mais

Karina Bacchi e Enrico

Deixe uma resposta

Comentários