“Bebi quatro litros de água por dia e isso salvou a vida do meu bebê”

Por: Bruna Romanini

Foto: Reprodução DailyMail

A mãe Louise Adams sofreu um rompimento prematuro da bolsa e acredita que beber muita água salvou seu bebê

Com 22 semanas de gravidez, a mãe inglesa Louise Adams, 28 anos, recebeu uma triste notícia: sua bolsa havia se rompido prematuramente. Como ela estava bem no início da gestação, os médicos a informaram que as chances de seu bebê sobreviver eram de apenas 5%.

Quando esta condição ocorre no final da gestação, o tratamento dela geralmente é um parto prematuro, para prevenir infecções. Porém, Louise estava com apenas 22 semanas, um parto prematuro era impossível e acabaria resultando no falecimento do bebê.

Links Patrocinados

Tudo que os médicos podiam fazer era dar antibióticos para prevenir infecções, recomendar o repouso e monitorar a gestação.

Porém, Louise estava determinada a salvar seu bebê. Então, ela começou a pesquisar sobre o assunto na internet e descobriu um outro tratamento inusitado, mas que não custava nada tentar. “Os médicos diziam que eu sofreria um aborto em questão de dias, mas eu estava sentindo meu bebê chutar, não podia não fazer nada. Vi que em alguns países quando a bolsa da mãe se rompe prematuramente elas são orientadas a tomar bastante água. E foi o que eu fiz, bebia 4 litros de água por dia”, disse Louise em entrevista ao jornal britânico DailyMail.

Links Patrocinados

Louise conta que ficou praticamente todo o tempo em repouso e bebendo muita água.  “Os médicos me diziam que havia poucas chances disto funcionar e que praticamente não havia estudos sobre o assunto, mas eu decidi tentar. Quem defende essa pratica, diz que ideia de beber bastante era porque além de reduzir o risco de infecções, isto também fazia o bebê urinar mais. Quando o bebê urina, esta urina passa a fazer parte do líquido amniótico e ainda contribui para o desenvolvimento do pulmão. Achei que toda esta ideia fazia sentido”, disse Louise.

De fato, quando o bebê faz xixi dentro da barriga este xixi passa a fazer parte do líquido amniótico e ainda contribui mesmo para o desenvolvimento dos pulmões. Agora, se o fato da mãe beber mais água realmente leva o bebê a urinar mais e então ajuda em casos de ruptura prematura da bolsa, ainda não há estudos que comprovem. Por isso, este tratamento não é orientado pela maioria dos médicos.

Mas o fato é que Louise conseguiu manter sua gravidez por mais 13 semanas! “O mais difícil foi passar das 24 semanas de gestação, isto porque após as 24 semanas de gestação o bebê já tem chances de sobreviver em casos de parto prematuro. Somente quando eu passei das 24 semanas, os médicos começaram a me dar esteroides para que os pulmões do meu bebê amadurecessem e antibióticos para prevenir infecções”, contou Louise.

mae-bebe-agua-bolsa2

O pequeno Joseph nasceu por meio de uma cesárea pesando 2.3 kg. E hoje ele é um bebê cheio de saúde.   “Quando ouvimos ele chorar pela primeira vez foi maravilhoso. Meu bebê era perfeito e estava tão bem que pudemos voltar para casa uma semana depois do parto. Hoje meu filho tem seis meses e é minha grande alegria. E eu realmente acredito que ele só sobreviveu porque eu bebi muita água”, conclui Louise.

Algumas ONGs de mães que passaram por uma ruptura prematura da bolsa também defendem o maior consumo de água nestes casos. “Muitas mães tiveram experiências positivas ao beber bastante água na gestação e alguns países inclusive passaram a dar esta orientação”, disse o representante da ONG Little Heartbeats, ONG que apoia mães que sofrem a ruptura prematura da bolsa.

Caso você tenha este problema, converse com seu médico sobre a possibilidade de beber mais água e veja qual é a opinião dele sobre esta questão.

mae-bebe-agua-bolsa3

Fontes consultadas

Biblioteca Nacional de Saúde do Governo dos Estados Unidos

Departamento de Saúde do Governo dos Estados Unidos

Veja mais

Comentários

Links Patrocinados