Cientistas descobrem grávida medieval que deu à luz no caixão

Por: Bruna Romanini



gravida deu luz enterrada

Foto: Reprodução – Entenda o impressionante caso da grávida que deu à luz após estar enterrada

O esqueleto da grávida foi descoberto em Imola na Itália, saiba mais sobre a descoberta a seguir

Uma descoberta impressionante e um tanto macabra foi feita na Itália na cidade de Imola. Em 2010, arqueólogos encontraram os ossos de uma mulher com os ossos de um feto entre suas pernas. E agora, após uma pesquisa mais detalhes foram descobertos e os cientistas souberam que a mulher deu à luz ao bebê quando já estava enterrada!

Mas calma, no momento do enterro tanto mãe quanto filho já estavam mortos. Mas o bebê só foi “parido” quando a mãe já estava enterrada.  Isto acontece por causa de um fenômeno raro chamado extrusão fetal pós-morte, que também é popularmente conhecido como ‘nascimento no caixão’.

Cadastre-se

O ‘nascimento no caixão’ acontece devido ao aumento da pressão dos gases intra-abdominais que ocorrem quando a pessoa falece. Estes gases no corpo da grávida fazem com que o feto seja expulso.

A descoberta a respeito desta grávida medieval foi feita por pesquisadores da Universidade de Ferrara e Bologna e publicada na revista científica World Neurosurgery.

Estima-se que a mulher morreu por volta dos anos 700 a 800 DC e que tinha entre 25 e 35 anos. Mas a causa de sua morte ainda é um mistério.  Seu crânio indica que ela deve ter passado por algum tipo de cirurgia no cérebro, pois há uma incisão no crânio que corresponde a uma cirurgia da época.

A principal suspeita é que a mulher tenha morrido devido à uma eclampsia, que até hoje é uma das doenças que mais mata gestantes em todo o mundo.  Isto porque antes da eclampsia há a pré-eclampsia que pode causar convulsões na gestante.

A grávida em questão pode ter tido convulsões em decorrência da pré-eclâmpsia e a cirurgia em seu crânio pode ter sido a forma encontrada na época de amenizar o problema.

Veja a seguir imagens do esqueleto que foi encontrado:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Veja mais

Comentários





Veja mais