“Quase perdi meu bebê depois de pintar o cabelo na gravidez”

Por: Bruna Romanini



Foto: Reprodução DailyMail

Jess Strachan teve uma forte reação alérgica a um produto químico na tinta de cabelo e quase perdeu seu bebê

A mãe Jess Strachan passou por um grande susto após tingir os cabelos na gravidez. Jess sofreu uma forte reação alérgica à tinta de cabelo após tingir os fios de loiro para castanho no salão aos cinco meses de gravidez.

Acostumada a tingir os cabelos há mais de uma década, Jess achou que não haveria problemas dessa vez e seu cabelereiro sequer fez um teste antes de aplicar a tinta.  Porém, algumas horas depois de tingir os cabelos, o couro cabeludo de Jess começou a coçar.

Cadastre-se

Achando que não era nada demais, Jess foi dormir. Quando ela acordou, teve um grande susto. “Meu marido Stuart olhou para mim na cama e me disse que algo estava estranho com meu rosto. Então, eu me olhei no espelho e fiquei em choque, meu rosto estava muito inchado. Minha testa estava IMENSA e doía muito tocar”, disse Jess em entrevista ao jornal britânico DailyMail.

O marido de Jess a levou para o hospital, mas de acordo com o casal, os médicos se recusaram a dar medicamentos a Jess por causa da gestação. “Eu comecei a chorar e não entendi como puderam me dispensar sem nenhum tratamento”, recorda-se Jess.

No dia seguinte, o inchaço piorou ainda mais. Jess retornou ao hospital e teve o tratamento novamente negado. “Naquele momento eu estava em agonia absoluta e temia pela minha vida e a do meu filho”, contou Jess.

Na manhã seguinte, o rosto de Jess havia inchado tanto que ela não conseguia mais abrir os olhos. “Sentia tanta dor no rosto que eu achava que ia morrer”, desabafa Jess.

Então, o casal entrou em contato com o ginecologista de Jess. Ele confirmou que ela estava sofrendo uma reação alérgica a um produto químico presente em muitas tintas de cabelo chamado paraphenylenediamine.

O médico prescreveu um anti-histamínico, que não prejudica as gestantes ou os bebês, e 72 horas depois, Jess conseguiu voltar a abrir os olhos e o inchaço foi diminuindo com o tempo. Mas o médico disse que Jess teve sorte, pois se a alergia tivesse afetado seu corpo internamente, ela poderia ter perdido seu bebê. “Eu fiquei chocada ao saber que algo tão insignificante como tingir o cabelo poderia ter matado meu bebê. Fui muito ingênua em pensar que nada iria acontecer comigo”, conclui Jess.

Jesso conseguiu se recuperar completamente da reação alérgica. E quatro meses depois, ela deu à luz a um bebê saudável e que hoje está com quase dois anos.

jess-filho-cabelo1

O que você precisa saber sobre tingir os cabelos na gravidez

Tingir os cabelos na gravidez não é aconselhado pelos médicos. “O que sabemos com certeza é que a tintura usa metal pesado para a fixação da cor e ele pode ser levado até o feto”, explica a ginecologista obstetra Márcia Pereira Bueno, professora de ginecologia e obstetrícia da Pontifícia Univesidade Católica de Campinas (PUCC).

Caso você faça parte do grupo que adora uma corzinha nos cabelos, saiba que ainda há uma solução. “Os shampoos tonalizantes estão liberados a partir da 12ª semana”, conta a ginecologista obstetra Helaine Milanez, médica associada do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Veja mais

Comentários



Veja mais