Estudo afirma: não dar colo prejudica até o DNA do bebê! Entenda:

Por: Bruna Romanini



Foto: Getty Images

Uma pesquisa acaba de descobrir que dar colo e carinho é ainda mais importante do que já se sabia

Uma pesquisa feita pela University of British Columbia e o Children’s Hospital Research Institute, do Canadá, fez uma descoberta muito importante. De acordo com os pesquisadores, a quantidade de colo e carinho que a mãe, pai ou outro cuidador dá para o bebê afeta o organismo do pequeno em um nível molecular.

Segundo os pesquisadores, os efeitos do carinho e colo ou da falta deste carinho e colo podem ser detectados no organismo da criança após quatro anos. Os cientistas observaram que quando o bebê recebe pouco colo e contato físico, quatro anos depois, suas moléculas estão subdesenvolvidas para a idade, existindo até o risco delas ficarem biologicamente atrasadas.

Cadastre-se

“Em crianças, pensamos que o envelhecimento epigenético mais lento pode indicar uma incapacidade de desenvolver corretamente”, disse Michael Kobor, professor do Departamento de Genética Médica da UBC que lidera o tema “Saudáveis ​​Inícios” no Children’s Hospital Research Institute.

Apesar de ainda ser necessário saber como isso irá implicar na vida adulta, este estudo vai de acordo com outras pesquisas que haviam sido realizadas em animais.

Esta é a primeira pesquisa a mostrar que em humanos o ato de dar colo e carinho tem consequências que podem durar a vida inteira e afetar até mesmo o DNA.

A pesquisa contou com a participação de 94 bebês que foram acompanhados desde as 5 semanas de vida até os quatro anos.

Veja mais

Karina Bacchi e Enrico

Comentários



Veja mais