Refluxo em bebês: causas, sintomas e tratamento

Por: Bruna Romanini

Foto: Clínica Mayo

Saiba tudo sobre o refluxo em bebês, entenda esta condição comum nos pequenos

O refluxo é um problema muito comum em bebês. A seguir, esclareça todas as suas dúvidas sobre o refluxo em bebês:

Sintomas do refluxo em bebês

Cadastre-se

  • Bebê não está ganhando peso;
  • Bebê frequentemente cospe com força, fazendo com que o conteúdo ingerido saia projetado, o famoso vomito projetado;
  • Bebê cospe ou baba líquidos esverdeados e/ou amarelados e/ou sangue e/ou líquido semelhante a grãos de café;
  • Bebê se recusa a comer;
  • Bebê tem sangue nas fezes;
  • Bebê tem dificuldades em respirar ou uma tosse crônica;
  • Bebê baba e cospe muito aos seis meses ou mais;
  • Bebê fica muito irritado após comer;

Causas do refluxo em bebês

O refluxo ocorre porque o anel muscular entre o esôfago e o estomago, conhecido como esfíncter, ainda não amadureceu o suficiente e não fecha corretamente. Isto permite que o conteúdo do estomago volte para o esôfago.

Alguns outros fatores contribuem para o refluxo ser algo tão frequente em bebês como o fato dos pequenos ficarem deitados a maior parte do tempo e ter uma dieta composta apenas por líquidos. Bebês que nasceram prematuros também tem maiores chances de ter refluxo.

O refluxo também pode ocorrer por fatores mais graves como: alergia a algum alimento; esofagite eosinofílica, um certo tipo de glóbulo branco (eosinófilos) acumula-se e fere o revestimento do esôfago e Estenose pilórica, a válvula entre o estômago e o intestino delgado é estreitada, impedindo o conteúdo do estômago de esvaziamento para o intestino delgado.

Possíveis complicações do refluxo em bebês

Geralmente o refluxo em bebês se cura sozinho com o passar do tempo. As maiores complicações que podem ocorrer com o refluxo são o problema persistir durante a infância e/ou o bebê apresentar problemas no crescimento devido ao refluxo.

Diagnóstico

Para realizar o diagnóstico do refluxo seu médico irá realizar uma série de exames físicos em seu bebê e também fará muitas perguntas sobre os sintomas de seu bebê. Caso o bebê tenha o refluxo mas esteja se desenvolvendo bem e pareça estar bem, outros exames podem não ser necessários.

Caso contrário, o médico pode pedir exames como:

  • Ultrassom;
  • Exames de sangue e urina;
  • Monitoramento do PH do esôfago, para medir a acidez do esôfago, o médico coloca um tubinho no nariz ou boca do bebê que vai até o esôfago;
  • Raio-X;
  • Endoscopia digestiva alta, exame em que um tubo especial equipado com uma câmera entra no esôfago, estomago e intestino do bebê. Pequenos tecidos dos órgãos podem ser retirados para análise, geralmente esse exame é feito com o bebê sob efeito de anestesia;

O que perguntar ao médico

As perguntas que os pais devem fazer aos médicos são:

  • Qual é a causa mais provável para os sintomas do meu bebê?
  • Meu bebê vai precisar passar por algum exame?
  • Quais os tratamentos disponíveis?
  • Devo mudar de alguma forma a maneira como alimento ou com o que alimento meu bebê?

Não hesite em fazer qualquer outra dúvida que possa surgir.

Perguntas que o médico deve fazer aos pais

  • Quando seu bebê começou a apresentar os sintomas?
  • Seu bebê cospe/ baba/ vomita após todas as mamadas ou apenas de vez em quando?
  • Seu bebê fica bem entre as mamadas?
  • Você mudou recentemente a amamentação pela fórmula? Ou você mudou a fórmula que oferece ao seu bebê?
  • Com que frequência você alimenta seu bebê? E quanto o bebê mama em cada mamada?
  • Se outras pessoas além de você alimentam o bebê, essas pessoas o fazem da mesma forma que você?
  • Alguma coisa parece melhorar ou piorar os sintomas do seu bebê?

Como aliviar o refluxo dos bebês

O refluxo em bebês geralmente se cura sozinho, enquanto isso não acontece, os pais podem ter as seguintes medidas para aliviar o problema:

  • Oferecer ao bebê menos leite por mamada, mas mamadas mais frequentes;
  • Interromper as mamadas para colocar o bebê para arrotar;
  • Segurar o bebê na vertical por cerca de 20 a 30 minutos após as mamadas;
  • Caso o bebê seja alimentado por fórmula, trocar a fórmula para ver se esse é o problema pode ser uma boa ideia;
  • Caso o bebê seja alimentado com mamadeira, trocar o bico da mamadeira pode ser uma boa ideia, pois bicos de mamadeira muito largos ou muito pequenos podem fazer o bebê engolir ar e piorar o quadro;

Remédios

Medicamentos para o refluxo geralmente não são orientados para casos mais leves. Isto porque estes medicamentos podem atrapalhar a absorção de cálcio e ferro nos bebês e aumentar o risco de problemas respiratórios e intestinais.

Porém, alguns medicamentos podem ser necessários, caso o bebê:

  • Ganhe pouco ou nenhum peso e outros tratamentos não tenham funcionado;
  • Se recuse a comer;
  • Apresente inflamação no esôfago;
  • Tenha asma crônica e refluxo;

Cirurgia para refluxo em bebês

Em alguns casos muito raros pode ser necessário operar o refluxo em bebês. A cirurgia pode ser necessária se o refluxo continuar após o aniversário de um ano do bebê ou se a criança apresentar baixo ganho de peso ou problemas parar respirar. Mas cabe a um médico especialista em cirurgia do sistema digestivo definir se a cirurgia é necessária ou não. A cirurgia irá fortalecer o esfíncter e assim evitar que o conteúdo do estomago volte para o esôfago.

Atitudes do dia a dia que minimizam o refluxo em bebês

  • Amamente seu bebê mais na vertical e após as mamadas deixe-o na vertical entre 20 e 30 minutos. A gravidade ajuda o conteúdo do estomago a permanecer lá;
  • Amamente seu bebê com porções menores, mas com a frequência maior;
  • Coloque o bebê para arrotar no meio das mamadas e após as mamadas;

Fonte consultada:

Clínica Mayo

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários