Penico e bebê: como fazer a adaptação

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Saiba quais os sinais de que o bebê está pronto para o desfralde e como acostumá-lo ao penico

O desfralde é uma importante fase na vida do bebê e dos pais. Por isso, saiba como reconhecer que o pequeno está pronto para a nova fase e a maneira certa de ensiná-lo a usar o penico.

O momento do desfralde

Cadastre-se

É essencial que se respeite o tempo individual para que o desfralde seja um período livre de traumas. Afinal, trata-se de um dos primeiros passos rumo à autonomia, além de um momento de descobertas tanto de suas capacidades, como do seu próprio corpo.

A identificação da hora certa para começar o desfralde ocorre a partir da observação dos sinais emitidos pelos bebês. Ele acontece quando o pequeno apresenta bom desenvolvimento neurológico, já anda, fala e tem o corpo mais firme. O sinal mais característico que os pais devem prestar atenção é quando ele começa a anunciar que irá fazer xixi e cocô.

Os principais erros na hora do desfralde

Um dos mais frequentes equívocos é antecipar o processo. É muito preocupante o fato de algumas escolas apenas aceitarem crianças que não usam mais fraldas. Desta forma, muitos pais adiantam esse momento, desrespeitando a natureza individual e, em certos casos, traumatizando. Isso pode causar problemas como o descontrole da evacuação, além da prisão de ventre e retenção urinária.

Outra atitude que deve ser evitada é a agressividade e repreensão com os escapes. É normal que durante o desfralde a criança faça xixi na calça. Nessas situações, os pais devem manter a calma e não criticar os filhos. Pelo contrário, eles devem dizer que é normal a transição e que os outros dias serão melhores. Assim, a autoconfiança dos pequenos não é afetada, o que poderia colocar em risco todo o processo.

A comparação com os irmãos ou outras crianças também não deve acontecer, já que pode aumentar a insegurança e trazer o sentimento de frustração.

O uso do penico

Apesar do redutor de assento ser mais prático, a melhor opção é o próprio penico. Isso porque deixa a criança mais à vontade, em um ambiente próprio, e segura. Afinal, as pernas não estão soltas e não há o risco de queda. Quando estão no vaso sanitário comum, naturalmente há o medo de cair dentro, uma vez que o tamanho é completamente desproporcional.

Para tornar o uso do penico divertido e o processo de adaptação mais rápido e prazeroso, você pode investir nas mais diversas estratégias: dar tchau para cocô, cantar musiquinhas e brincar com alguns bonecos enquanto faz xixi. Também é sempre bom incentivar e comemorar quando o filho consegue fazer certo, assim ele terá motivação para a próxima vez.

Especialistas consultados para esta matéria

Pediatra Tadeu Fernando Fernandes, presidente do Departamento de Pediatria Ambulatorial da SBP e da SPSP.

Pediatra Ana Cristina Zollner, membro do Departamento de Pediatria Ambulatorial e Cuidados Primários da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP).

Pediatra Yechiel Moises Chencinski membro do Departamento de Pediatria Ambulatorial e Cuidados Primários da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP).

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários