Esta história mostra importância das visitas respeitarem a mãe do recém-nascido

Por: Bruna Romanini

Foto: Reprodução PopSugar Moms

A blogueira Laura Grace Weldon conta o que houve quando a avó de seu marido desrespeitou seu pedido de não receber visitas

Visitar um recém-nascido é sempre um momento delicado, afinal, nem sempre as pessoas seguem os cuidados necessários e ainda há aqueles que não respeitam o desejo da mãe. Pensando nisso, a blogueira Laura Grace Weldon decidiu compartilhar sua história no portal PopSugarMom para ajudar a conscientizar outros sobre a importância das visitas respeitarem o desejo das mães de recém-nascidos. Confira o que ela contou:

“Eu sou muito dedicada à minha família estendida de ambos os lados. Minha sogra e meu cunhado moram conosco há 10 anos e meus filhos sempre fazem presentes feitos a mão para nossos parentes e a maioria das comemorações são na minha casa. Mas eu aprendi a pedir para os familiares e amigos deixarem eu, meu marido e nossos filhos sozinhos por pelo menos uma semana após o nascimento de um bebê nosso. E isto passou a ser uma grande preocupação para mim após a avó do meu marido ignorar o meu pedido de nos deixar sozinhos.

Cadastre-se

Aconteceu da seguinte maneira:

Três dias após o nascimento do nosso bebê a avó do meu marido deixou um recado na secretária eletrônica dizendo que estava indo nos visitar. Naquela. Hora.

Eu e meu marido estávamos começando a nos adaptar ao nosso novo ciclo de mãe, pai e bebê. Meu bebê Benjamin era uma maravilha para nós, com olhos que (eu juro) pareciam demonstrar uma grande sabedoria. Sentia como se esse momento entre nós três fosse quase sagrado. E eu não queria ter que atrapalha-lo com conversinhas educadas e clichês como “ahn, você está ótima”.

Eu também estava exausta e muito sobrecarregada, como a maioria das mães no pós-parto. Nós esperamos três quartos do ano para ver o bebê que estávamos gestando. Além disso, nós estamos lidando com mamilos machucados, sono interrompido e níveis de hormônios doidos na primeira semana após o parto. Eu sei que muitas mães não têm problemas em se socializar logo após o parto. Mas eu não sou assim. Eu não estava nem um pouco sociável.

Quando a avó do meu marido chegou, minha resolução de não receber ninguém diminuiu um pouco ao vê-la se abaixar para beijar o rostinho do meu bebê.

Porém, minha ternura evaporou instantaneamente quando ela arrancou meu bebê dos meus braços de repente e sem me pedir.

Ela estava com um perfume muito forte e quase que imediatamente meu bebê começou a estranhar, mas ela se recusou a me devolver meu bebê.

“Eu conheço bebês”, ela disse, na tentativa de me tranquilizar. Mas eu não estava tranquila.

Ela colocou meu bebê em seus ombros, o rostinho delicado do meu bebê ficou pressionado contra o strass do suéter dela. Imediatamente eu estiquei meus braços para que ela me devolvesse meu bebê. Porém, ao invés de fazer isso, ela foi com ele para o outro lado do quarto.

Agora meu bebê estava chorando muito. Aquele choro desesperado que ativa todos os nervos do corpo de uma recém-mãe. Os pelos do meu braço se levantaram e o meu couro cabeludo formigou. Minha boca se abriu e eu JURO que quase rosnei. Eu nunca havia experimentado uma reação tão primitiva como esta. Eu fui em direção a ela como uma verdadeira leoa e consegui dizer as seguintes palavras:

“Me dê o meu bebê de volta AGORA. Ou eu não respondo pelo que eu vou fazer”.

Ela, que costumava me chamar de “menina doce” desde a primeira vez que me conheceu, parecia chocada.

Eu peguei o meu filho que estava aos berros e fechei a porta do quarto. A adrenalina ainda estava a mil. Amamentá-lo acalmou nós dois, mas não completamente. Eu fiquei dentro do quarto até que ela fosse embora. Quando meu marido entrou no quarto, após a saída de sua avó, eu percebi que até mesmo ele estava assustado comigo.

Eu sei que eu poderia ter lidado com a situação de uma maneira melhor. E honestamente, ela também. Eu sei que este incidente mostrou para o meu marido a importância de realmente deixar claro para as pessoas que não queremos receber visitas nos primeiros dias de vida do nosso bebê. Este incidente também me deixou claro que nada é mais poderoso do que o impulso de uma nova mãe de estar com seu bebê.

Eu acho que há uma moral nesta história: Não visite um recém-nascido se a mãe não quiser, mesmo se ela pedir de maneira tímida para você não ir visitar, não vá”.

Veja os cuidados ao visitar o recém-nascido aqui.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários