Pé torto congênito no bebê: causas e tratamento

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Entenda por que o pé torto congênito acontece e como é o tratamento

O pé torto congênito ocorre desde o nascimento do bebê. “A causa para a ocorrência do pé torto congênito ainda é desconhecida. Várias teorias existem tentando explicar o aparecimento dessa deformidade. As mais conhecidas são: posição ‘forçada’ dentro do útero, parada no desenvolvimento do feto, infecções virais, defeitos genéticos e alterações neurológicas. O pé torto é mais comum nos meninos do que nas meninas. A proporção aproximada é de dois meninos para uma menina”, explica o pediatra Rui Maciel de Godoy Junior, Professor Doutor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e assistente da disciplina de Ortopedia Pediátrica do IOT do Hospital das Clínicas da USP.

Tratamento do pé torto congênito

Cadastre-se

O tratamento do pé torto congênito é realizado com a colocação de gesso. “O início do tratamento deve ser o mais precoce possível para que os resultados sejam melhores. A grande maioria dos casos apresenta um bom resultado após a colocação de uma série de gessos e da utilização de um aparelho ortopédico após a utilização desses gessos”, diz Rui Maciel de Godoy Junior.

O tratamento pode demorar de dois a quatro meses, mas a criança tem que ser acompanhada por vários anos, pois pode ser necessário o uso de aparelho ortopédico após o gesso. “Podem ocorrer também recidivas da deformidade e isso pode incorrer em novas imobilizações com gesso”, afirma Rui Maciel de Godoy Junior.

O pé torto não tratado permanece com uma deformidade que prejudica as atividades físicas do paciente e principalmente o impede de utilizar calçados adequados.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários