Gravidez ectópica: causas, sintomas e tratamentos

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

Entenda a gravidez ectópica, também conhecida como gravidez nas trompas que leva a morte do feto

A gravidez ectópica, também conhecida como gravidez nas trompas, ocorre fora da cavidade endometrial, que é o local correto para a implantação do embrião. “Esta gestação pode se localizar nas tubas uterinas (trompas) ou em outros locais como o colo do útero e até em uma cicatriz de cesárea”, conta o ginecologista e obstetra Paulo Nowak.

Por que ocorre?

Cadastre-se

A gravidez ectópica ocorre devido à problemas de saúde da mulher. “Podem ser alterações das trompas causadas por endometriose ou por infecções. O embrião também pode se implantar antes do período habitual”, explica Nowak.

Sintomas

Os principais sintomas da gravidez ectópica são sangramento vaginal e dor abdominal. “Em casos graves podem acontecer quedas súbitas da pressão e até desmaios”, afirma Nowak.

Diagnóstico

As primeiras suspeitas do problema ocorrem devido à dosagem seriada do Beta-HCG que apresenta um crescimento fora do normal e algumas vezes pode até cair e depois voltar a subir. “A ultrassonografia tem um importante papel no diagnóstico, mas mesmo ultrassonografistas experientes podem ter dificuldades para confirmar o achado”, conta Nowak.

Tratamento

Infelizmente, o feto não sobrevive à uma gravidez ectópica. A atitude que será tomada diante do problema depende do estado de saúde da gestante e de como está a evolução da gravidez. “Algumas vezes o quadro se resolve sozinho, com a parada do desenvolvimento da gestação, não sendo necessária cirurgia. Em outros casos é necessária intervenção cirúrgica, que na maioria das vezes pode ser feita pode laparoscopia”, observa Nowak.

Como evitar recidiva

Mulheres que já tiveram uma gravidez ectópica tem mais chances de ter este problema novamente. “O ideal é que depois de resolvido o quadro seja feita uma pesquisa cuidadosa dos fatores relacionados, incluindo exames para averiguar a condição das trompas e a presença de doenças que predisponham a uma nova gravidez ectópica”, afirma Nowak.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários