Taís Araújo fala do problema de saúde que a fez não poder amamentar a filha

Por: Bruna Romanini

Foto: Reprodução

“Minha culpa era enorme porque minha mãe me amamentou até os 6 anos”, disse a atriz Taís Araújo

Amamentar é algo que a grande maioria das mães deseja. Infelizmente, às vezes elas encontram dificuldades e este desejo acaba não se tornando realidade. Foi o que ocorreu com a atriz Taís Araújo após o nascimento de sua segunda filha, Maria Antônia.

Apesar de ter conseguido amamentar o primeiro filho, João, até um ano e dois meses, ela não pode amamentar a filha Maria Antônia por causa de um problema de saúde. Veja o que a atriz falou sobre o assunto em entrevista à revista Marie Claire a seguir:


Cadastre-se

“Amamentei o João até 1 ano e 2 meses. Parei porque ele não quis mais. Já a Maria, não pude amamentar porque no fim da gestação tive uma infecção que me fez tomar antibióticos na primeira semana de vida dela. Quando ofereci o peito, ela já não quis. Fiquei mal. Sentei com meu analista e chorei. Ele me deu um chacoalhão: ‘Não é isso que vai determinar a relação de vocês. Cuidado para não caminhar para uma depressão pós-parto’. Acho que todas as mulheres sentem essa culpa, mas a minha era enorme porque minha mãe me amamentou até os 6 anos. Lembro bem de como eu gostava. Mas a terapia — que faço desde os 22 anos — me ajuda a lidar com isso e várias outras coisas, como o fato de eu trabalhar muito. Nunca pensei em parar para cuidar dos filhos. A maternidade, por si só, não me completa. Sou bem mais do que isso. Minha história é esta: trabalho para criar os filhos da melhor maneira e os crio da melhor maneira para poder trabalhar bem”.

Dois abortos espontâneos

A atriz Taís Araújo, que é mãe de dois filhos, também contou à revista Marie Claire que sofreu dois abortos espontâneos. O primeiro aborto ocorreu quando ela estava grávida de seu primeiro filho, João. Era para o menino ter um irmão gêmeo.

“Sofri duas perdas espontâneas. A primeira de um nenê que seria gêmeo do João, mas não vingou. Com dois meses, descobri que ele não tinha batimentos cardíacos. Felizmente o corpo reabsorveu o feto e não foi traumático. Mas foi sofrido. Chorei muito e o Lázaro me chamou para a realidade. Disse: ‘Ei, tem uma criança aí que precisa de você inteira’. A segunda perda foi mais triste. Estava tentando o segundo filho havia um tempo e perdi com um mês e pouco. Tive sangramento, senti dor. Fiquei arrasada, mas segurei a onda. Exatamente um ano depois, engravidei da Maria”, contou a atriz em entrevista à Marie Claire.

Veja o que mais ela falou sobre maternidade aqui.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários