Esperar o bebê atingir os marcos sozinho atrasa o desenvolvimento

Por: Bruna Romanini

Foto: Getty Images

De acordo com neurocientista, estimular e desafiar o bebê desde o nascimento é essencial para o desenvolvimento

É muito comum os pais ouvirem que os bebês vão se desenvolver no seu próprio tempo e que, portanto, eles não devem desafiá-los a realizar coisas para quais ainda não estão prontos. Então, muitos pais acabam acreditam que o bebê deve realizar suas conquistas por conta própria e sem uma ajuda extra. E esperam que o bebê atinja os marcos do desenvolvimento sozinho, como rolar, sentar, andar, com pouca ou nenhuma ajuda dos pais.

Contudo, de acordo com a neurocientista e professora da Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia, Audrey van der Meer, esta crença pode atrasar e muito o desenvolvimento do bebê.


Cadastre-se

Segundo a neurocientista, esta crença surgiu no início do século XX, época em que os profissionais de saúde estavam convencidos de que eram os nossos genes que determinariam quem nós seríamos. E que portanto, o desenvolvimento das crianças aconteceria independente do que os pais ou cuidadores fizessem. Também acreditava-se que era prejudicial acelerar o desenvolvimento, porque ele deveria e iria ocorrer naturalmente.

Novas descobertas, novos conceitos

Ocorre que desde o início do século XX, muita coisa mudou e muitas novas descobertas foram feitas. E as pesquisas mais recentes têm apontado que estimular o bebê desde de cedo definitivamente não é prejudicial, mas sim algo muito benéfico. De acordo com Audrey van der Meer, os pesquisadores têm notado que quanto antes o bebê for estimulado mais o seu cérebro irá se desenvolver.

Há anos Audrey van der Meer estuda o desenvolvimento do cérebro dos bebês. E o que ela descobriu foi que os neurônios presentes no cérebro do bebê aumentam rapidamente, tanto em número quanto em especialização, à medida que o bebê aprende novas habilidade e aumenta sua mobilidade. Nos bebês, os neurônios são capazes de formar até mil novas conexões por segundo.

A pesquisa de Van der Meer também mostra que o desenvolvimento de nosso cérebro, percepção sensorial e habilidades motoras acontecem em sincronia. Ela acredita que mesmo os bebês menores devem ser desafiados e estimulados em seu nível desde o nascimento. Eles precisam envolver todo o seu corpo e sentidos, explorando o seu mundo e diferentes materiais, tanto em ambientes fechados e fora e em todos os tipos de clima.

A neurocientista também observou que os cérebros dos bebês são bem maleáveis e portanto podem se adaptar ao que está ocorrendo ao redor deles. Porém, se determinada coisa que é observada ou aprendida não é estimulada, ela acaba desaparecendo conforme a criança cresce e o cérebro perde essa “plasticidade”.

Como muita coisa está ocorrendo no cérebro do bebê nos primeiros anos de vida, Van der Meer acredita que este é o melhor momento para o aprendizado dos pequenos. E este aprendizado pode ocorrer de diversas maneiras, inclusive por meio de brincadeiras.

Um pouco de calma é sempre bom

Apesar de ser importante estimular os bebês, Van der Meer ressalta que isto deve ser feito respeitando as fases de desenvolvimento do bebê. Então, se seu bebê ainda não conseguiu nem sentar, ele não deve ser estimulado a andar. Veja aqui com quantos meses é esperado que o bebê atinja cada marco do desenvolvimento.

E confira aqui ótimas maneiras de estimular o desenvolvimento do seu bebê de acordo com a idade dele.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários