Grávida de 9 meses e seu bebê morrem após serem atendidos em Santa Casa de SP

Por: Bruna Romanini

Foto: Reprodução Facebook

A gestante Bruna e seu bebê Caio faleceram horas após passarem na Santa Casa de São Roque

Um triste caso ocorreu na cidade de São Roque, no interior de São Paulo. Bruna Stephania Pires, 28 anos, faleceu aos 9 meses de gestação horas após ter sido atendida na Santa Casa da cidade. Seu bebê, Caio, também não resistiu e morreu na barriga.

A família registrou um boletim de ocorrência e o caso será investigado pela Polícia Civil. A morte ocorreu no último sábado (11). Em nota, a Santa Casa afirmou que a jovem foi vítima de AAA (aneurisma da aorta abdominal) e que o caso terá uma apuração rigorosa.

Cadastre-se

Segundo o boletim de ocorrência, o companheiro de Bruna relatou que ela estava grávida entre 38 e 40 semanas e começou a sentir muita dor quando foi levada à Santa Casa na sexta-feira (10).

De acordo com relato da família à polícia, no hospital, Bruna teria passado por um médico plantonista, que fez exame do toque e lavagem estomacal por conta da cólica que ela sentia. Após os procedimentos, ela foi liberada.

Quando retornou para casa, já na madrugada de sábado, Bruna dormiu, mas acordou pela manhã com muitas dores e “espumando pela boca”, conforme descrito no B.O.

O companheiro acionou o Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) quando a vítima já estava desacordada, e foi orientado a fazer massagem cardíaca nela até a chegada da equipe. Bruna foi levada novamente até a Santa Casa, mas nem ela nem o bebê resistiram.

O enterro  de Bruna foi realizado no fim da tarde de domingo (12), no Cemitério Municipal de Alumínio.

A Santa Casa afirmou  em nota ao portal G1 que casos de aneurisma aorta abdominal são raros no perfil dela, muitas vezes assintomáticos e fatais em 90% das vezes em que há rompimento da parede abdominal. “Todo o ocorrido merece e terá uma apuração rigorosa e pautada por especialistas da área para podermos ter uma conclusão justa e perfeita e então apontar, se houver, quem são os culpados, não se pode esquecer que existem órgãos sérios, profissionais e capacitados para essa investigação”, diz a nota.

O hospital ainda afirmou que vem sendo vítima de um “linchamento moral”. “O que não se pode aceitar, nestes tempos de ânimos acirrados e que sistematicamente tem acontecido com a Santa Casa, é a realização de um linchamento moral nas redes sociais, a qual ultimamente vem sendo vítima de difamação em redes sociais e outros canais, mas as pessoas se esquecem que amanhã são elas que poderão necessitar da Santa Casa.”

A Santa Casa termina a nota manifestando um “profundo pesar pelo ocorrido”.

O hospital não falou sobre o primeiro atendimento pelo qual Bruna passou e do qual teve alta mesmo com dores abdominais.

Veja mais

Comentários





Veja mais