Marido choca ao revelar como esposa grávida estava logo antes do assassinato

Por: Bruna Romanini



Foto: Reprodução Arquivo Pessoal

Adilson afirmou em depoimento que Daiane não percebeu que seria morta por ele, veja a seguir

O homem que confessou ter assassinado a própria esposa dois dias antes dela dar à luz, em Serrinha, cerca de 170 km de Salvador, disse em depoimento que a mulher não percebeu que ia ser morta.

A informação foi revelada ao portal G1 pelo delegado responsável pelo caso, Hildebrando Silva. Daiane Reis Mota, de 25 anos, foi morta com um tiro na nuca. O corpo dela foi encontrado domingo (17), e o parto estava marcado para a segunda-feira (18).

Cadastre-se

“Ele disse que ela não viu que ele ia matar ela. E mesmo que visse, se ela gritasse, é um lugar aberto, de mato, ninguém ia ouvir. Diante desses indícios, e outros, acredito que o crime tenha sido premeditado. Ele disse que ao ver a mulher no chão, chegou a apontar a arma para a cabeça dele e não teve coragem de atirar, mas ele teve coragem de matar uma mulher grávida que esperava a filha dele”, disse.

Adilson Prado Lima Júnior, de 25 anos, confessou o crime e disse que matou a jovem após encontrar mensagens no WhatsApp dela. Conforme disse Hildebrando, Adilson não apresentou à polícia as mensagens que disse ter visto no celular da mulher. O bebê que ela esperava não sobreviveu.

A arma utilizada para matar Daiane foi achada na terça-feira (19), na loja do pai de Adilson. O delegado ainda relatou que, inicialmente, Adilson mentiu sobre o paradeiro do revólver usado no crime. A arma só foi encontrado após a polícia fazer uma revista na loja do pai do suspeito.

“Ele disse que tinha deixado a arma no meio do mato onde matou a mulher. Mandei policiais lá por volta das 5h e eles só saíram às 13h, mas não acharam a arma, mesmo com apoio de agentes da limpeza da prefeitura. Ao confrontarmos, ele disse que a arma era emprestada e que estava com um rapaz. Desconfiamos da versão e mandei os policiais irem logo na loja do pai, que fica perto da casa da família dele. O pai dele vai ser ouvido porque temos que saber de quem era a arma”, contou.

O delegado disse que, aparentemente, Daiane foi morta por uma arma 38, o mesmo calibre da arma que foi encontrada na loja do pai de Adilson. Entretanto, só a perícia poderá confirmar o calibre da arma. O celular da vítima também foi encaminhado para perícia. Ainda não há resultado desses dois laudos.

Hildebrando Silva disse que, na terça-feira, ele também solicitou a transferência de Adilson, que está preso em Serrinha, para o presídio de Feira de Santana, distante cerca de 70km. Ele foi indiciado pelo crime de feminicídio.

Além disso, o Ministério Público da Bahia (MP-BA), por meio da promotora de Justiça Núbia Rolim dos Santos, emitiu parecer ratificando a representação da prisão preventiva de Adilson, por homicídio qualificado contra a sua companheira grávida de oito meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Veja mais

Comentários





Veja mais