Atriz dá a sua versão da história após revelar que filha é do concunhado

Por: Bruna Romanini



Foto: Reprodução Arquivo pessoal/ Instagram: Confira o desabafo da atriz Letícia Almeida

A atriz Letícia Almeida afirmou que seu sogro e seu ex-namorado tentaram pegar sua filha

A atriz Letícia Almeida decidiu revelar a sua versão da história envolvendo sua filha Maria Madalena de 6 meses, seu ex-namorado, Saulo Poncio, sua ex-cunhada, Sarah Poncio, e seu ex-concunhado Jonathan Couto.

No último domingo (05/08), Letícia revelou que o pai de sua filha era seu ex-concunhado, o músico Jonathan Couto. Jonathan é casado com Sarah Poncio que está grávida de seu segundo filho com ele. Sarah é irmã do músico Saulo Poncio que namorou Letícia por dois anos e que até junho acreditava ser o pai da bebê.

Cadastre-se

Letícia revelou em entrevista ao jornal Extra que desde que a real paternidade de sua filha foi descoberta, ela tem enfrentado uma série de problemas com a família de Saulo e, segundo ela,  culminou com a família de Saulo tentando separá-la da filha.

Letícia inclusive fez no dia 20 de junho um boletim de ocorrência registrado na 16ª DP da Barra da Tijuca por danos, injúria e vias de fato. “Eles tentaram ficar com minha filha, teve uma confusão, me xingaram, xingaram meu pai, rasgaram nossas roupas. Pedi uma medida protetiva. Estou com muito medo e nem saio de casa“, relato Letícia ao jornal Extra.

Atriz conta como tudo aconteceu

Letícia relatou que se relacionou com seu concunhado em uma noite na casa em que ele vivia com Sarah, Saulo e os pais deles. “Nós (ela e Jonathan) sempre fomos amigos. Eu o apresentei à Sarah. Eu estava com Saulo, não chamava de namoro, mas era um relacionamento sério apesar de não rotularmos. O Saulo me pediu para ficar na casa dos pais dele à espera da sua volta. Eu conhecia todo mundo, sempre frequentei a casa deles, todos moram juntos. Dormi lá. A Sarah não estava grávida nesta época. O filho dela tinha 4 meses e ela foi dormir. Fiquei na sala com amigos e com o Jonathan. Bebemos, e não lembro direito como aconteceu. Mas aconteceu. E, infelizmente, não posso apagar isso, desfazer”, contou Letícia ao Extra.

Ela também relatou que após esta noite seu concunhado fez várias investidas, mas que eles nunca mais tiveram relações sexuais. “Depois do que aconteceu, ele me procurava insistentemente. Mandava mensagem pelo direct do Instagram de madrugada, me chamando para ver um filme, para ficar com ele. Isso na mesma casa em que ele era casado com minha cunhada. Eu dizia não. Uma noite ele chegou a entrar no meu quarto. Mas nunca pretendi ter nenhum caso com ele. O que aconteceu não deveria ter acontecido e eu jamais iria querer destruir um casamento, uma família. Tentei esquecer tudo isso. Jamais passou pela minha cabeça que ele podia ser o pai da Madalena”, afirmou Letícia.

Exame de DNA

Letícia contou que a ideia de fazer um exame de DNA partiu de seus então sogros. Ela também disse que os sogros sugeriram fazer o exame porque Saulo não estava envolvido com a gestação de Letícia e não a estava apoiando. O exame seria uma maneira dele perceber que realmente havia se tornado pai.

Todos combinaram de realizar o exame após o nascimento da bebê. O exame foi feito três meses após o parto e Letícia afirmou que o resultado negativo a chocou. “Fiquei desesperada, chocada. Saulo nem quis olhar na minha cara. Lógico! Me coloco no lugar dele. Entendo todo mundo”.

A descoberta do verdadeiro pai

Mesmo com a revelação de que Saulo não era o pai biológico, Letícia contou que continuou vivendo na casa dos pais de Saulo, junto com Saulo, Sarah e Jonathan. A descoberta de que Jonathan era o pai biológico só ocorreu após um mês, quando Letícia contou sobre a traição para seus sogros e eles realizaram um exame de DNA.

Dias após a descoberta da real paternidade da bebê, Sarah, esposa de Jonathan, pediu para falar com Letícia. “A Sarah pediu para falar comigo e ver a Madá. Contei para ela o que tinha acontecido, tudo o que me lembrava. Foi muito duro para as duas. Ela chorou muito e me disse: ‘Eu te perdoo porque você não se envolveu com meu marido, me coloco no seu lugar, mas uma coisa eu peço: não vou aguentar ver o Jonathan registrar a Madalena. Isso vai cortar meu coração’”.

Pouco depois, Letícia relatou que foi informada por Saulo que ele continuaria assumindo a paternidade da bebê.

Pedido de tutela da bebê

Após isso, Letícia foi morar em um flat junto com sua filha. E nesta época seus sogros pediram que ela passasse a custódia de Madalena para eles. “Eu estava tão angustiada por tudo o que havia causado que nunca parei pra pensar na pressão psicológica que eu estava sofrendo. Eu fui levada para um flat. Até os pais do Saulo começarem a dizer que eu teria que assinar um termo passando a tutela da Madá para eles. Eles iriam criá-la. Diziam que eu não tinha condições, que eu não trabalhava, que ela teria uma boa escola e mais chances com eles. Eu estava quase assinando o termo, porque eu não queria que minha filha soubesse a verdade. Meus pais não sabiam de nada, eu não contei, não falava com eles, me afastei dos amigos. Eu vivia apenas aquela rotina com a família do Saulo. Eles disseram que se eu não assinasse o termo, os pais, no caso o Saulo que registrou, e o Jonathan, o pai biológico, iriam pedir a guarda alegando que eu não poderia criá-la. Foi quando acordei”.

Boletim de ocorrência e delegacia

Letícia então relatou que no dia 20 de junho ela passou na casa dos pais de Saulo junto com seu pai para pegar a carteira de vacinação da filha, pois a levaria ao pediatria. Ao chegar no condomínio, ela relatou que seu carro foi fechado pelos carros do pai de Saulo e de seus seguranças, oito no total. “Meu pai não entendeu, eu estava atrás com a minha filha na cadeirinha quando o pastor (o pai de Saulo que é pastor) abriu a porta e tentou tirá-la. Eu comecei a gritar, o Saulo veio e tentou arrancá-la com truculência. Eu desesperada porque iriam pegar minha filha, meu pai foi contido pelos seguranças, e Saulo puxando a menina. Soltei para não machucá-la e fui atrás. Mas o Márcio (o pai de Saulo) gritava dizendo que a gente ia ver com quem tava lidando”.

A situação continuou tensa, o carro que Letícia estava foi levado para dentro do condomínio por um dos seguranças, a atriz afirma ainda que tentou ligar para sua advogada, mas Saulo pegou seu celular e o quebrou. “Lá de dentro vem a mãe dele, a Simone me xingando de piranha e vagabunda. Ela partiu para cima de mim, rasgou minha roupa, vendo aquilo tudo, meu pai veio me defender e ela rasgou as roupas dele também. Chamamos a polícia e todos fomos para a delegacia. Pedi uma medida protetiva porque estou com medo”.

A decisão de tornar a paternidade pública

Letícia, por fim, explicou sua decisão de tornar a paternidade da filha pública. “Quando decidi publicar a verdade eu só quis evitar que mais gente fosse envolvida como estava acontecendo. Nem sei se fiz certo. Não sei se me arrependo. Mas hoje todo mundo sabe a verdade e é com ela que terei que conviver. Meus amigos estão me dando força, alguns produtores me ligaram para ajudar. No momento, estou desempregada. Só cuido da Madá. Meu pai é vendedor e minha mãe dona de casa. Mas nada falta para minha filha. Olho para ela e penso: será que um dia ela vai me amar mesmo sabendo de tudo?”, concluiu a atriz.

Foto: Reprodução Arquivo pessoal – Letícia Almeida na delegacia com as roupas rasgadas

Foto: Reprodução Arquivo pessoal – Letícia Almeida na delegacia com sua bebê após a tentativa de tirarem a menina

Foto: Reprodução Arquivo pessoal – O pai de Letícia Almeida na delegacia com as roupas rasgadas

Foto: Reprodução Instagram – Jonathan Couto com a esposa Sarah Poncio

Foto: Reprodução Instagram – Letícia Almeida com Saulo Poncio quando estava grávida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Veja mais

Comentários





Veja mais