Cauã Reymond conta como ele e Grazi se organizam na guarda compartilhada da filha

Por: Bruna Romanini



Cada vez mais pais separados têm optado pela guarda compartilhada dos filhos, confira e entenda

Cada vez mais pais que estão separados optam pela guarda compartilhada. De acordo com dados do IBGE houve aumento na proporção de guarda compartilhada entre os cônjuges, passando de 7,5% em 2014 para 12,9% em 2015.  E este também é o caso dos atores Cauã Reymond e Grazi Massafera. Eles são pais da pequena Sofia, de 5 anos, e optaram pela guarda compartilhada.

Em entrevista no ‘Conversa com Bial’, Cauã Reymond explicou como eles se organizam em relação à guarda compartilhada da filha. Veja:

“Eu amadureci muito com a paternidade, sou outra pessoa. Hoje em dia, meu trabalho eu organizo diante dela. Eu tenho guarda compartilhada. No Rio de Janeiro é fácil ter a guarda compartilhada e isso foi muito bom. O conselho que me deram quando eu e Grazi nos separamos era ‘viva perto da sua filha e da ex-mulher’. Temos uma boa relação e conseguimos nos organizar. Funciona assim: ela fica metade com a mãe, metade comigo. Ela fica de terça pra quarta comigo, ai de quinta pra sexta comigo ai no final de semana com a mãe. Ai no final de semana que vai ser meu, eu fico de terça pra quarta com ela e pego na sexta. Tenho dois dias a menos no final de semana que eu fico, o que me incomoda (risos), mas nós temos uma boa relação e a Sofia lida muito bem com isso, fico admirado. Acho que ela lida melhor que os pais”, contou Cauã.

Cadastre-se

Entenda a guarda compartilhada

O principal objetivo da guarda compartilhada é fazer com que pai e mãe tenham o mesmo peso de responsabilidade sobre a vida do filho. A definição dada pela lei de guarda compartilhada é: “a responsabilização conjunta e o exercício de direitos e deveres do pai e da mãe que não vivam sob o mesmo teto, concernentes ao poder familiar dos filhos comuns”.

Também é importante deixar claro que na guarda compartilhada a criança não precisa necessariamente ter duas casas, ela pode continuar morando em apenas um lugar. O que é dividido neste tipo de guarda são as responsabilidades sobre o pequeno e não necessariamente a residência. Quando a criança não divide a residência, o que ocorre neste tipo de guarda é que há maior frequência de visitas à casa do outro pai e mais flexibilidade.

Veja mais

Comentários



Veja mais