Karina Bacchi revela quanto pagou pra dar à luz nos Estados Unidos e impressiona

Por: Bruna Romanini



Foto: Reprodução

A atriz pagou 35 mil reais para dar à luz nos Estados Unidos de e ter ajuda com a documentação do filho

A atriz Karina Bacchi revelou deu à luz nos Estados Unidos. Esta decisão foi tomada para que seu filho, Enrico, tivesse a cidadania brasileira e americana. “Eu tenho cidadania italiana e sei o quanto é positivo. Quero que meu filho tenha múltipla cidadania. Tudo está sendo feito dentro da legalidade e escolhi Miami, pois aqui também tenho todo suporte médico, além de familiares e amigos. Me sinto amparada e tranquila”, disse a futura mamãe em entrevista ao portal UOL.

Muitas mães de classe alta de todo o mundo optam por dar à luz nos Estados Unidos, pois de acordo com a legislação do país todo bebê que nasce em solo americano tem direito à cidadania americana.

Cadastre-se

Mas, ter um bebê nos Estados Unidos definitivamente não é algo barato. Karina revelou ao portal UOL que pagou 35 mil reais para dar à luz no país. Neste valor está incluso serviços de obstetrícia, pediatria e a documentação da criança.

Para isso, Karina está contando com os serviços da empresa “Ser mamãe em Miami”, que oferece profissionais que dominam as línguas inglesa, espanhola e portuguesa. Este valor que a atriz revelou que pagou é para quem deseja fazer um parto normal. Caso a mulher queira uma cesárea, o valor é de 42 mil reais. No final, Karina precisou passar por uma cesárea. Mas não foi mencionado se o valor pago por ela aumentou por causa do procedimento.

Karina decidiu fazer o parto nos Estados Unidos e com essa empresa em maio, quando foi fazer as compras do enxoval do filho no país. “Também já tinha recebido indicações de amigas e conhecidas que fizeram o parto com eles, por isso me sinto bastante segura sobre a escolha e até o momento muito satisfeita com o atendimento”, disse Karina Bacchi em entrevista ao portal UOL.

É importante deixar claro que viajar para os Estados Unidos para dar à luz é algo perfeitamente legal, desde que a gestante pague por todos os gastos hospitalares, que como você viu, não são nada baratos.

Além disso, o fato de ter um filho cidadão americano não dá aos pais o direito de se tornarem cidadãos deste país. Apenas quando o filho completa 21 anos, ele pode pleitear algum benefício para os pais e irmãos.

Ao entrar nos Estados Unidos a gestante que pretende ter um filho no país deve informar a imigração que pretende ter tratamento médico particular e fazer parto lá. Após o parto, o bebê poderá voltar ao Brasil quando o médico liberar. Para o retorno, os pais podem tirar o passaporte brasileiro ou americano do pequeno nos Estados Unidos mesmo. O passaporte americano pode ser feito no Departamento de Estado Americano e o brasileiro no Consulado Brasileiro.

Veja mais

Comentários



Veja mais