Disciplina positiva: benefícios e como aplicá-la

Por: Bruna Romanini

disciplina positiva

Foto: Getty Images

Saiba o que é a disciplina positiva, a partir de quando aplicá-la e como fazer isso

A disciplina positiva é um novo método que propõe criar os bebês e crianças de uma maneira diferente. “O que muda na disciplina positiva é o ponto de vista, enquanto na disciplina tradicional falamos em punir o comportamento errado, na positiva temos em mente o tipo de adulto que queremos criar e qual seria a reação da sociedade diante daquele erro”, explica a consultora familiar Renata Konzen, autora do site sosseguinho.com.br.

Assim, a disciplina positiva é uma forma de disciplina não punitiva que favorece a autoestima, a independência da criança e o vínculo entre pais e filhos.

Cadastre-se

Como agir quando o bebê ou criança faz algo errado

Você deve estar pensando, se está disciplina não é punitiva, como eu vou agir quando meu filho faz algo errado? Bom, assim, como acontece quando os adultos fazem algo errado. “Se você erra no seu trabalho tem que arcar com as consequências do seu erro, às vezes financeira, às vezes moral, e sempre que possível é preciso corrigir o erro. Então, a criança aprende a corrigir algo que fez errado”, diz Renata Konzen.

Assim, se seu filho bateu em outra criança, por exemplo, a aplicação da disciplina positiva irá ensinar a criança a entender os problemas que isso causou no outro. “A criança tem que aprender a pensar no outro, ensinar empatia, e com base nessa empatia, ensinamos a criança a enxergar os erros dela e corrigir sempre que possível. Não tem castigo, teoricamente não tem bronca, mas tudo depende da paciência dos pais”, observa Renata Konzen.

Claro que essa questão de entender as consequências dos seus erros, vale para crianças maiores. No caso dos bebês é diferente. “Com essa idade não tem muita linguagem, agimos dizendo frases curtas, como: ‘não, esse machuca’. Se o bebê quiser muito algo que não pode ter, tiramos o objeto da frente dele para que deixe de ser o foco. Se o bebê chorar por causa disso, os pais devem consolá-la, mas não podem entregar o objeto a ele ou deixar que faça o que havia sido proibido”, conta Renata Konzen.

Quando o bebê tem um ano e alguns meses, já entende o que o adulto diz, por isso, os pais podem explicar melhor por que determinada coisa não pode ser feita. Assim, a disciplina positiva a partir desta idade é composta de muitas conversas e explicações sobre por que determinadas coisas não podem ser feitas. Quando a criança faz algo que os pais não gostaram, eles nunca devem dizer coisas como: você é um pestinha. Os pais devem deixar claro que não gostaram da atitude da criança, dizendo algo como: não é legal bater no seu amigo porque dói nele. “Este método tem limites bem firmes e ao mesmo tempo oferece muita liberdade para a criança. Como na sociedade em que temos leis gerais, mas as pessoas são livres”, constata Renata Konzen.

Como agir quando o bebê ou criança faz algo certo

Na disciplina tradicional, quando a criança faz algo certo, os pais geralmente não ligam muito, afinal, ela não fez mais do que a obrigação. Contudo, quando ela realiza algo errado, os pais prestam atenção. Na disciplina positiva é diferente. “É importante que os pais procurem mostrar que perceberam o bom comportamento e elogiem. Também é interessante elogiar o esforço da criança. Isto porque o que vai fazer a pessoa vencer na vida é a capacidade de se esforçar e ir atrás do que ela quer”, destaca Renata Konzen.

Quando começar com a disciplina positiva

Nos primeiros meses do bebê não faz muito sentido aplicar a disciplina positiva. “A partir dos 8 ou 9 meses, o bebê tem um salto de desenvolvimento e aprende a se comunicar usando o choro, é uma fase complicada porque até ali você nunca teve que disciplinar e agora eles insistem no que querem. Então, a partir daí podemos aplicar a disciplina positiva”, afirma Renata Konzen.

Dicas para aplicar a disciplina positiva

Uma das dicas mais importantes para aplicar a disciplina positiva é nunca mentir para o filho. Por exemplo: se seu filho quer uma bolacha, mas você não quer dar o alimento a ele, nada de dizer que não tem bolacha para evitar explicações. “Também temos que evitar muito o suborno e a chantagem porque se fizer isso sempre vai ter gritaria e choro. Se a regra existe, ela tem que valer”, constata Renata Konzen.

Outra ótima dica é pensar muito bem antes de dizer não. Afinal, neste método não é interessante que os pais mudem de ideia após a insistência da criança. “Os pais também têm que assumir a culpa dos seus descontroles, é muito comum dizer: ‘ai meu filho me tirou do sério’. Contudo, não foi ele que te tirou, foi você que saiu do sério.  É importante conseguir se controlar e falar calmamente com a criança”, diz Renata Konzen.

Benefícios da disciplina positiva

A disciplina positiva ajuda as crianças a se tornarem adultos criativos. “Isto porque quando punimos criamos no adulto o medo de errar. Neste método não punimos o erro, mas sim, o corrigimos”, conta Renata Konzen. Ela também irá estimular a independência do bebê ou criança.

A autoestima da criança também é estimulada com a disciplina positiva. “Neste método estimulamos a não superproteger e por outro lado criamos as conquistas, por exemplo, se seu filho quer uma bicicleta e você dá no mesmo dia, essa criança não tem o que esperar. Então, é interessante que os pais estipulem uma data para que ela ganhe a bicicleta, como o dia do aniversário. Assim, quase nada é proibido, são estipulados os marcos para ela conquistar aquilo que deseja. A autoestima é estimulada porque se cria situações em que a criança conquista a coisas”, observa Renata Konzen.

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários