Após morte de 3 bebês, França suspende recomendação da vacina rotavírus

Por: Bruna Romanini

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Foto: Getty Images

Decisão foi divulgada pelo Conselho Superior de Saúde Pública do governo da França, entenda

O Conselho Superior de Saúde Pública do governo da França tomou uma decisão polêmica após a morte de três bebês por reações a vacina rotavírus: suspendeu a recomendação da vacina rotavírus para os bebês.

De acordo com a nota divulgada pelo Conselho Superior de Saúde Pública, eles tomaram esta decisão devido às três mortes relacionados às reações a vacina rotavírus e também a diversos casos de bebês que desenvolveram fortes reações a esta vacina.

Cadastre-se

O Conselho Superior de Saúde Pública também afirmou que como a França é um país industrializado e não sofre com tantos casos de diarreias em bebês, não há nada na literatura médica que comprove que a vacina rotavírus com seus efeitos adversos seria uma boa alternativa para as crianças do país.

Entre os bebês franceses que morreram em decorrência de fortes reações à vacina rotavírus, dois deles desenvolveram invaginação intestinal por causa da vacina e acabaram falecendo. O terceiro bebê teve enterocolite necrosante, que os médicos consideraram que foi uma reação a vacina. Saiba mais sobre a relação entre invaginação e vacina rotavírus aqui.

É importante deixar claro que isto não significa que a vacina rotavírus está proibida na França, mas sim que o governo apenas não a recomenda mais para a população. Além disso, o Conselho Superior de Saúde Pública ressaltou que todo médico que orientar esta vacina para seus pacientes, deve deixar claro quais são suas possíveis reações.

A decisão do governo Francês vai contra as recomendações da Organização Mundial de Saúde, que defende que a vacina rotavírus seja oferecida aos bebês saudáveis como forma de prevenção da diarreia, uma das doenças que mais mata bebês.

Saiba mais sobre a vacina rotavírus aqui.

Fonte consultada:

British Medical Journal

Conselho Superior de Saúde Pública do Governo da França

Veja mais

Deixe uma resposta

Comentários