Vídeos da Momo NÃO estão no Youtube Kids, afirma Google

Por: Bruna Romanini

Foto: Reprodução – Entenda a polêmica em torno dos vídeos da Momo

Não foram encontrados links de vídeos da Momo no Youtube Kids, vídeos circularam no Whatsapp

O caso dos vídeos da Momo está dando o que falar no Brasil nos últimos dias. A boneca supostamente apareceria no meio de vídeos infantis e incitaria as crianças a cometerem atos de violência contra si mesmas, como o suicídio, e/ou contra os pais.

Diversas correntes no Whatsapp transmitiram a informação de que os vídeos com a boneca estariam aparecendo na plataforma Youtube Kids.  Mas, será que isto é verdade? A resposta é NÃO.

Até o momento não foi encontrado nenhum link recente de vídeo no Youtube Kids que tenha a Momo. Os vídeos com a boneca foram vistos no Whatsapp, geralmente enviados em correntes que abordavam o assunto.

O próprio Google, empresa a qual o Youtube Kids pertence, se manifestou sobre o assunto: “Nós gostaríamos de fazer um esclarecimento sobre o Desafio da Momo: Nós não vimos nenhuma evidência recente de vídeos promovendo o Desafio da Momo no Youtube. Vídeos que encorajem comportamentos perigosos são contra as nossas políticas”.

Uma das correntes do Whatsapp sobre o caso chegou a apontar que vídeos do youtuber infantil mais famoso do Brasil, Lucas Neto, teriam a boneca. Esta informação NÃO é verdadeira. Nenhum dos vídeos do youtuber possuem a boneca.

O irmão de Lucas e também youtuber, Felipe Neto, se manifestou sobre o assunto em vídeo recente.  “Momo é hoax, que é quando muita gente acredita numa mentira da internet e transforma a mentira quase em uma realidade”, disse Felipe.

Como proteger as crianças dos vídeos da Momo?

Para evitar que as crianças entrem em contato com vídeos que podem ser prejudiciais para ela, não apenas o da Momo, é importante ter alguns cuidados. Utilize aplicativos de monitoramento dos acessos online dos pequenos. Além disso, também é interessante usar o Youtube em versões que permitem baixar somente vídeos que já tenham sido pré-aprovados para crianças pequenas.

Outro cuidado importante é restringir o tempo das crianças nas telas. Vale lembrar que de acordo com a Academia Americana de Pediatria, a orientação é que crianças até dois anos NÃO usem celular, tablets e computadores e não assistam televisão. Entre os dois e cinco anos de idade, a orientação passa a ser no máximo uma hora de celular ou tablet ou computador ou televisão por dia.

Comentários



Veja mais